100% dos municípios da Região de Lagarto aderem ao PlanificaSUS

O objetivo é orientar a organização da Atenção Ambulatorial Especializada para melhorar o acesso do usuário do SUS em rede com a Atenção Primária à Saúde

Gestores dos seis municípios que compõem a Região de Saúde de Lagarto confirmaram adesão ao PlanificaSus, projeto que tem o objetivo de orientar a organização da Atenção Ambulatorial Especializada para melhorar o acesso do usuário do Sistema Único de Saúde (SUS) em rede com a Atenção Primária à Saúde. Visa também a organização dos processos de trabalho na Atenção Primária. A adesão dos municípios de Lagarto, Simão Dias, Tobias Barreto, Riachão, Salgado e Poço Verde ocorreu nesta segunda-feira, 20, durante reunião do Colegiado Interfederativo Regional (CIR).

O secretário de Estado da Saúde, Valberto de Oliveira, enaltece resultado. “Ter 100% de adesão dos municípios da região que vai receber o PlanificaSus é muito expressivo. Mostra que os gestores estão empenhados e comprometidos com a melhoria da saúde em seus territórios, ao mesmo tempo em que evidencia o acerto do governador Belivaldo Chagas em determinar uma aproximação maior entre a SES e as secretarias municipais de Saúde. Precisamos ser parceiros nos projetos e na assistência para benefício da população”, destacou o secretário.

Para o diretor de Atenção Integral à Saúde da SES, João Lima, o projeto trará grandes contribuições para melhorar a saúde pública em Sergipe. “Estamos iniciando o PlanificaSus com os municípios da Região de Saúde de Lagarto em um projeto piloto, com execução pelo Hospital Albert Einstein, mas o propósito do governo é expandi-lo para todo o Estado e para isso estamos trabalhando com as equipes da Diretoria de Atenção, em sintonia com a Fundação Estadual de Saúde (Funesa), que tem foco na educação permanente em saúde e deve assumir o  papel de apoio à expansão do projeto”, adiantou Lima.

Em Sergipe, o PlanificaSUS, será conduzido pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Saúde, que tem o apoio do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Sergipe (Cosems/Se). A execução pelo Hospital de referência, Albert Einstein, seguirá até dezembro de 2020, segundo informou João Lima. Acrescentou que o projeto é desenvolvido pelo Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi), numa parceria do Ministério da Saúde com o Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde (Conass).

O presidente do Cosems e secretário de Saúde de Nossa Senhora do Socorro, Enock Ribeiro, declarou apoio da instituição e dos municípios ao PlanificaSus. “O projeto traz uma proposta de melhoria dos processos de trabalho e atuação em rede das Atenções Ambulatorial Especializada e Primária, o que significa a busca por mais qualidade na assistência aos usuários”, disse o presidente.

“O dia de hoje representou mais uma etapa cumprida para a concretização do projeto de implantação da metodologia da planificação da Atenção à Saúde, com 100% da assinatura do termo de compromisso pelos gestores da região de Lagarto. Neste primeiro momento iniciaremos na Região de Lagarto com a rede Materno Infantil por acreditarmos que o projeto trará a organização de processos de trabalho, o que impactará na redução da mortalidade materno-infantil”, prevê a coordenadora da Atenção Ambulatorial Especializada, Luciana Alves.

“Enquanto gestor e entusiasta do SUS, apoio o Projeto PlanificaSUS para o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde, em especial a Estratégia de Saúde da Família na Região de Saúde de Lagarto, que irá potencializar a Rede Ordenadora e Coordenadora do Cuidado, a qual faz parte o Município de Simão Dias, especificamente a Rede Materno-Infantil”, disse o secretário de Saúde de Simão Dias, Lenivaldo Nunes Conceição.

Na ótica da coordenadora da Atenção Primária da SES, Ana Paula, durante as elucidações realizadas nesta segunda-feira sobre o projeto, pode se notar o total interesse dos gestores em apostar na proposta de reorganização dos processos de trabalho, como alternativa de melhoria da situação de saúde dos seus municípios, apesar das dificuldades. “Lembramos também que todos os atores precisam estar envolvidos e que os prefeitos são peças importantes, pois os gestores da saúde necessitarão de apoio em vários momentos, para que as dificuldades sejam transpostas. Os desafios serão constantes, mas o poder de governança deverá ser sublime para o êxito do projeto” salientou.

Fonte: SES/SE

<-Voltar