Acre – Região Norte abre espaço para instalação de mesas de negociação após Seminário

O Estado do Acre sediou nesta terça e quarta-feira (16 e 17) o Seminário sobre Democratização das Relações de Trabalho no Sistema Único de Saúde (SUS). O evento, promovido pela Mesa Nacional de Negociação Permanente do SUS (MNNP-SUS) em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) e com o apoio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre, foi o pontapé inicial para a implantação das mesas de negociação na Região Norte.

 

“O seminário veio como um grande desafio para nós. Hoje temos como meta a implantação de mesas de negociação no nosso estado e essa troca de experiências vai ser muito bem aproveitada para efetivação desse projeto”, ressaltou a secretaria municipal de saúde de Rio Branco, Marcilene Alexandrina.

 

Para a representante do Departamento de Gestão e da Regulação do Trabalho em Saúde (Degerts) e da Secretaria Executiva da MNNP-SUS, Tatiana Santos, o seminário proposto pela Mesa Nacional tem o objetivo de fomentar a instalação de novas mesas e fortalecer as mesas já existentes como ferramentas da gestão do trabalho na saúde, visando a democratização das relações de trabalho, a valorização do trabalhador da saúde e o fortalecimento do SUS.

 

Durante os dois dias de encontro foram discutidas pautas sobre as Diretrizes Estratégicas da Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde (SGTES), do Degerts e da MNNP-SUS, a importância da negociação coletiva para a democratização das relações de trabalho na saúde, o papel das mesas de negociação e apresentação, pelo Dieese, da situação do Trabalho em Saúde na Região.

 

“Os municípios trouxeram uma leitura muito parecida sobre a precarização das condições de trabalho, a ausência de planos de cargos, carreiras e salários e a situação da negociação coletiva no setor saúde. Isso foi positivo para entender que a mesa de negociação pode e deve ser o espaço para discutir esses pontos”, destacou o representante do Dieese, José Inácio Junior.

 

O seminário contou com a participação de técnicos do Degerts, representantes da Mesa Nacional, Mesas Estaduais e Municipais, gestores do trabalho e entidades representativas de trabalhadores de saúde dos Estados do Norte. “A participação do trabalhador no planejamento é um dos pontos que queremos com a democratização das relações de trabalho. A saúde não se faz só com trabalhadores, só com gestão ou só com usuários. Precisamos estar sintonizados”, defendeu o representante do Sindicato dos Trabalhadores de Saúde do Acre, Frank Lima.

<-Voltar