Agenda Goiás Saúde – Evento em Porangatu, no norte do Estado, propõe avanço na Atenção Primária

O 7º Fórum Agenda Goiás, realizado na terça, 6, na cidade de Porangatu, Norte de Goiás, teve como tema prioritário a Atenção Primária em Saúde. O assunto foi amplamente discutida entre as autoridades locais presentes ao encontro, que conta com a organização da Secretaria de Estado de Gestão e Planejamento (Segplan-Go), Sebrae e Grupo Jaime Câmara.O Fórum está em sua sétima edição e é promovido em pontos estratégicos do estado de Goiás com o objetivo final de formatar uma agenda única de ações para os próximos 10 anos. Os principais eixos discutidos são: qualidade de vida, competitividade e gestão de resultados.

O governador do Estado, Marconi Perillo, disse que o crescimento econômico de Goiás refletiu-se na melhoria da assistência hospitalar. 17 hospitais da rede própria receberam um choque de gestão que resultaram na excelência dos serviços. Outros dez hospitais regionais e ambulatórios médicos de especialidades, além de cinco centros para recuperação de dependentes químicos, devem ser incorporados à rede pública até 2018. “O avanço agora deve se concentrar na Atenção Primária de Saúde, instância capaz de solucionar 80% dos atendimentos de saúde”, afirmou.

Goiás está executando o programa Mais Saúde para Goiás, com apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), com objetivo final de fortalecer e capacitar as redes e as estruturas de gestão regionais da saúde.

Para o secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela, o fórum é uma oportunidade única para favorecer o debate em torno de desafios como o sub-financiamento do SUS. “Cortes de 16 bilhões de reais no orçamento da União para o ano que vem preocupam estados e municípios que verão aumentar suas contas no setor”, alertou. Vilela conclamou autoridades em Saúde e o governador de Goiás para que façam uma frente de mobilização face a essa medida.

Em relação aos bons resultados em Goiás, Vilela afirmou que o Estado está no rumo certo ao fortalecer os hospitais públicos estaduais que estão entre os melhores do Brasil. Ainda ressaltou que o projeto para fortalecimento em Goiás da atenção primária à Saúde já está em curso no Estado.

Novo SUS
Os ex-secretários de Saúde do Ceará, Antônio Carlile e Jurandi Frutuoso, trouxeram ampla colaboração em experiência relativa a regionalização dos serviços de Saúde. O atendimento de média complexidade com oferta de exames e consultas feito no interior, facilita a vida da população e previnem agravamento dos casos. Ambos, consolidaram em suas falas a importância da adoção de consórcios em Saúde. Essa medida, já adotada em Goiás, permite que vários municípios se unam para compartilhar e custear serviços.

A urgência de reavaliar o SUS, tanto no aspecto do financiamento, como da gestão eficiente, pontuaram a fala de Carlile e Frutuoso. A percepção de que as doenças crônicas e as causas externas são hoje predominantes no Brasil exige uma abordagem incisiva na saúde da família e no envolvimento direto do cidadão com a própria saúde. “Quando se fala de fatores como sedentarismo, hipertensão, diabetes e alcoolismo, só a receita do médico não basta” afirma Antônio Carlile.

Jurandi Frutuoso foi enfático ao defender o SUS como o sistema que tem amparado a população brasileira e que é reconhecido mundialmente pelo aspecto da integralidade e universalidade de ações, desde atendimentos ambulatoriais até a realização de transplantes. “O SUS é robusto, mas está estagnado. O sub-financiamento crônico é uma das causas. Para corrigir a gestão, temos apoiado intervenções na Atenção Primária, como a que Goiás vem fazendo”, pontuou.

Texto e foto: Ascom SES/GO

<-Voltar