Alagoas – Estado cultivará plantas para produção de fitoterápicos do SUS

Mudas serão distribuídas para agricultores familiares, que venderão a matéria-prima dos remédios para o Estado; iniciativa faz parte do APL de Fitoterapia

Produzir medicamentos fitoterápicos para serem utilizados no tratamento de pacientes atendidos pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Com este objetivo, alunos do curso de Agronomia da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) iniciaram o pré-cultivo de plantas medicinais do Arranjo Produtivo Local (APL) de Fitoterapia, criado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau).

A previsão é de que, até o início do segundo semestre de 2015, as mudas das plantas medicinais sejam distribuídas para os agricultores familiares, que irão cultivar os substratos, responsáveis pela matéria-prima para a produção dos fitoterápicos. Até lá, os agricultores de diversos municípios alagoanos serão sensibilizados para integrar o projeto, que tem o apoio da Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e do Serviço Brasileiro das Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

“Até a entrega das mudas, os agricultores irão passar por treinamento relacionado ao cultivo, manipulação e transporte para as ervas medicinais. Por meio deste projeto, será incrementada a renda familiar mensal, já que os agricultores irão vender para o Estado a matéria-prima das plantas medicinais, que serão utilizadas para a fabricação dos medicamentos fitoterápicos”, explicou o coordenador de produção do APL de Fitoterapia da Sesau, Clemens Fortes.

Ele informou que a Hortelã, o Guaco e a Babosa serão as plantas medicinais utilizadas pelo APL de Fitoterapia da Sesau, e que os índios e quilombolas terão prioridade para realizarem o cultivo. Após a colheita dos substratos (folhas e caules), eles serão encaminhados para uma fabrica que irá transformá-los em medicamentos fitoterápicos, que serão utilizados pelo Programa Saúde da Família (PSF).

Agricultura Familiar – Com esta ação, segundo a diretora de Assistência Farmacêutica da Sesau, Erivanda Meireles, a agricultura familiar será estimulada. Também haverá redução nos custos com medicamentos fitoterápicos para os municípios e irá aumentar a eficácia no tratamento de pacientes atendidos pelo SUS.

A diretora de Assistência Farmacêutica da Sesau informou que os municípios de Palmeira dos Índios, Arapiraca, Maceió, Coruripe e Marechal Deodoro já mostraram interesse em utilizar os medicamentos fitoterápicos no tratamento de pacientes da Atenção Básica. “Alguns deles já fazem uso desta medicação e, com a produção ocorrendo em Alagoas, com certeza iremos reduzir o preço, gerando economia para os cofres públicos”, salientou, ao informar que o projeto conta com o aporte financeiro de R$ 1,4 milhão.

 

Repórter: Josenildo Torres

Repórter Fotográfico: Olival Santos

<-Voltar