Amazonas – Combate à hanseníase no Amazonas é destaque em evento na Bélgica

 

O controle e a prevenção da hanseníase em áreas de difícil acesso no interior do Estado do Amazonas, com o uso de tecnologias da Telessaúde, será um dos destaques que a Fundação Alfredo da Matta (FUAM) apresentará no 18º Congresso Internacional de Hanseníase, evento que acontece de 16 a 19 de setembro, em Bruxelas, Bélgica. O trabalho inovador no Estado, realizado pelo Governo do Amazonas, através de parceria entre a Fundação Alfredo da Matta e a Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Fundação Novartis e Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan), foi selecionado pela comissão científica do congresso para ser apresentado aos participantes do evento, que reunirá os maiores especialistas em hanseníase do cenário internacional.

“A experiência da telessaúde na FUAM para o controle e a prevenção da hanseníase, em áreas de difícil acesso no Amazonas, certamente repercutirá como um modelo para outras localidades no mundo que tenham dificuldades semelhantes a nossa experiência”, afirma a diretora de Ensino e Pesquisa da FUAM, Carolina Talhari. A médica fará a apresentação do tema no congresso.

O uso das tecnologias de comunicação à distância pela FUAM, como aliadas no controle e prevenção da hanseníase no Estado do Amazonas começou em 2012, com as primeiras ações que prepararam os profissionais da instituição para a implantação de um ambulatório virtual de dermatologia.

Com o Projeto Telessaúde Aplicada ao Controle e Prevenção de Hanseníase nos Municípios do Estado do Amazonas, a ideia ganhou força e se concretizou em abril de 2013, num projeto-piloto executado nos municípios de Lábrea e Parintins. O projeto levou aos dois municípios do interior do Amazonas, a teleducação – cursos à distância sobre hanseníase para profissionais de saúde dos municípios – e a telemedicina – discussão de casos clínicos de pacientes entre os profissionais do interior e os especialistas da FUAM, para uma 2ª opinião médica e diagnóstico.

Além disso, a telessaúde, através de ferramentas como as videoconferências e os equipamentos de imagem de alta resolução, auxilia diretamente o trabalho das equipes de combate à hanseníase nos municípios. Com o projeto, estabeleceu-se um canal de comunicação rápido e eficaz entre município e FUAM, Centro de Referência em Hanseníase, dando suporte em tempo real às ações de monitoramento e controle de casos da doença, vencendo um dos maiores desafios do programa de combate à hanseníase no Amazonas: as barreiras geográficas.

Segundo Carolina Talhari, o objetivo da FUAM é expandir o projeto para todo o interior do Estado. “O projeto dando certo – e já estamos neste caminho – permitirá que levemos esta experiência para os demais municípios do interior”, afirma a médica. “Queremos ampliar o serviço, porque sabemos que ainda há casos de hanseníase nessas localidades não diagnosticados; já fazemos este trabalho, mas com estas ferramentas vamos ampliar o diagnóstico, aumentar o número de profissionais capacitados e principalmente, tratar e curar ainda mais”, finaliza Talhari.

Outros destaques da FUAM em Bruxelas – Além da apresentação sobre a Telessaúde no combate à hanseníase, a FUAM levará ao Congresso Internacional posters científicos de três projetos importantes e que envolvem várias frentes de ação no combate à hanseníase pela instituição; são estudos de casos clínicos de hanseníase atípicos, monitoramento de recidivas (recaídas) em pacientes da doença e a busca ativa de novos casos.

Reações hansênicas do tipo 1 ulceradas é o tema do trabalho de autoria de Carolina Talhari. Estudo sobre a evolução clínica de pacientes de hanseníase históide (variante rara da forma multibacilar da doença) diagnosticados entre 1990 e 2010 é de autoria da médica e pesquisadora da FUAM Maria de Fátima Maroja. Já Maria da Graça Cunha, também médica e pesquisadora é a autora do pôster cujo tema é hanseníase entre contatos intradomiciliares, ou seja, pessoas que mantém contato íntimo e prolongado com um paciente da doença, normalmente seus familiares.

 

Assessoria de Comunicação

Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas

<-Voltar