Atenção primária em saúde é foco de reunião da Sespa e Conass

Com o objetivo de focar na Atenção Primária em Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) em parceria com Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) realizou hoje, 28, no auditório do Hospital Ophir Loyola, uma reunião para discutir a reestruturação do Sistema de Saúde do Estado, cujo tema foi “Programa de apoio às Secretarias Estaduais de Saúde – Projeto de Reestruturação Gerencial”. Na reunião, também foi entregue um Plano de Ação para maior funcionalidade da Secretaria.

Foto: José Pantoja – Ascom/Sespa

“Nós tivemos hoje a apresentação de um Plano de Ação que foi elaborado durante quatro meses através de uma consultoria. Esse Plano terá execução em um ano e meio, e será monitorado e avaliado, com objetivos e metas de estruturação da Secretaria, do Fundo Estadual de Saúde, Plano de Educação Continuada, Projeto de Lei do PCCR e questões de processos administrativos”, disse o Secretário de Estado de Saúde Pública, Vitor Mateus.

“O intuito da consultoria é ajustar a Secretaria dentro do contexto do Sistema único de Saúde (SUS) e nas finalidades administrativas que cabem no componente do Governo do Estado”, acrescentou o Secretário.

Na programação, também foram realizados debates e palestras sobre a Regionalização e as Redes de Atenção à Saúde, com o especialista em saúde pública, Eugênio Vilaça e Consórcios Públicos de Saúde para aquisição de medicamentos, com o René José Moreira, coordenador técnico do Conass.

“É muito importante ter uma autoridade como Eugênio Vilaça, que nos esclarece e aponta as melhores condutas na política pública de saúde. Isso faz com que cada um de nós possa rever seus conceitos, seus processos de trabalho e buscar cada vez mais a integralidade da cura do ser humano através do autocuidado. Hoje foi ressaltado a importância da atenção primária. Nós não vamos investir somente em UTIs, transplantes, transporte aéreo, se a atenção primária não vier junto. Iremos focar na atenção básica e estimular os municípios nesse entendimento”, disse a Secretária Adjunta da Sespa, Heloísa Guimarães.

“O foco da minha palestra foi mostrar um novo jeito de olhar e usar o SUS em Redes de Atenção à Saúde. Isso é necessário, pois a situação da saúde dos brasileiros está mudando. Antes, no século passado, predominavam as doenças infecciosas, e hoje o predomínio são as doenças crônicas, como diabetes e hipertensão. Essas doenças são responsáveis por 76% das mortes no Pará”, disse Eugênio Vilaça, consultor de saúde pública e consultor técnico do Conselho Nacional de Secretários de Saúde.

Segundo Eugênio Vilaça, no Pará, 60% das pessoas com diabetes estão sem diagnóstico e metade delas não estão com a doença controlada, gerando assim diversas consequências. O que poderia ser evitado com um acompanhamento primário. “Para dar conta de manejar bem as doenças crônicas no estado, devemos fortalecer o Sistema fragmentado da Atenção Primária à Saúde, que irá resolver 95% dos problemas de cada município, os 5% seria resolvido pelos especialistas. Isso já vem acontecendo em várias regiões do país. O resultado seria a diminuição das filas em hospitais”, explicou o especialista.

A mesa da reunião foi composta pelo Secretário Estadual de Saúde, Vitor Mateus, o Secretário Executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde, Jurandi Frutuoso Silva, o coordenador técnico do Conass, René José Moreira, o consultor técnico do Conass e especialista em Saúde Pública, Eugênio Vilaça e Luiz Claudio Chaves, Diretor do Hospital Ophir Loyola.

<-Voltar