Atuação da SES durante as Olimpíadas visa garantir resposta rápida a situações de emergência

SES-MG está presente no Centro Integrado de Comando e Controle que acompanha os eventos relacionados aos Jogos Olímpicos 2016 

Como coanfitriã dos Jogos Olímpicos Rio 2016, Minas Gerais receberá 10 jogos dos torneios de futebol feminino e masculino, que terão início nesta quarta-feira, 3 de agosto, no Estádio Mineirão, em Belo Horizonte. A capital mineira receberá, inclusive, a disputa do bronze olímpico do futebol masculino, no dia 20 de agosto.

A fim de garantir resposta rápida a quaisquer situações de emergência em saúde pública, a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) irá atuar no monitoramento e vigilância de possíveis acidentes e doenças que envolvam múltiplas vítimas, e demais agravos de importância em saúde pública.ses_mg_olimpiada

Em parceria com a Comissão Estadual de Segurança Pública e Defesa Civil para os Jogos Rio 2016 (COESGE-MG) e o município de Belo Horizonte, a SES-MG estará presente no Centro Integrado de Comando e Controle Regional (CICCR), que irá acompanhar e apoiar os fluxos de segurança e saúde locais durante os dias de jogos em Belo Horizonte. Localizado na Cidade Administrativa, o CICCR conta com tecnologia de ponta e câmeras de grande alcance, permitindo o videomonitoramento total das atividades de segurança e saúde durante o evento esportivo. Em um só espaço, ele agrega instituições envolvidas nas ações a serem desenvolvidas ao longo do período, de forma que será possível dar respostas rápidas e desencadear ações articuladas e entre os comandos das instituições representadas.

Fora do estádio, no entorno do Mineirão, as equipes de saúde do Estado, por meio da Superintendência Regional de Saúde de Belo Horizonte, estarão de plantão no Centro Integrado de Comando e Controle Móvel, e serão responsáveis pela comunicação de quaisquer eventos que demandem ação em saúde.

Dessa forma, técnicos da SES-MG em plantão no CICCR e CICCM irão auxiliar a tomada de decisões rápidas, e de forma integrada à Secretaria Municipal de Saúde e Centro de Operações da Prefeitura de Belo Horizonte, aos hospitais de referência no Estado, ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192), bem como à Fundação Ezequiel Dias (Funed), e o Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (CIEVS).

“No caso de um acidente ou necessidade de atendimento em saúde dentro dos limites do Mineirão, um posto médico montado pelo Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 será responsável pelo atendimento, que será monitorado e acompanhado por um profissional da Vigilância em Saúde da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte. Entretanto, caso aconteça qualquer evento ou emergência em saúde que extrapole a capacidade desse primeiro atendimento, um médico regulador de plantão no Centro Integrado de Segurança da Instalação será responsável por acionar o SAMU 192 e o hospital de referência para onde será encaminhado um ou mais pacientes”, esclarece a Superintendente de Vigilância Epidemiológica, Ambiental e Saúde do Trabalhador, Deise Aparecida

Regionais de Saúde

Em solo mineiro, comitês e delegações olímpicas de diversos países, incluindo o Brasil, vêm se preparando em centros de treinamento nos municípios de Juiz de Fora, Lagoa Santa, Uberlândia e Viçosa. Dessa forma, a SES-MG está em constante articulação, por meio de suas Regionais de Saúde, com os municípios, para a acompanhamento de agravos em saúde que envolvam turistas, atletas e delegações nesses locais. “A maioria das delegações já veio com um plano de saúde próprio e pré-estabelecido. Em caso contrário, cabe aos municípios procederem com o fluxo normal de atendimento no Sistema Único de Saúde (SUS), inclusive fazendo o encaminhamento aos hospitais de referência, caso seja necessário”, explica Deise. “Os eventos em saúde que ocorrerem com cidadãos estrangeiros ou forem de notificação imediata, segundo a portaria nº 204, de 17 de fevereiro de 2016, devem ser notificados ao CIEVS por meio do telefone de plantão”, completa a Superintendente. A portaria define a Lista Nacional de Notificação Compulsória de doenças, agravos e eventos de saúde pública nos serviços de saúde públicos e privados em todo o território nacional.

Notificação imediata

Junto ao Ministério da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte, a SES-MG participou da elaboração da avaliação de riscos, tanto para a população brasileira quanto para as pessoas que vêm de fora. O Estado, por meio do CIEVS Minas, vem acompanhando o fluxo de notificação de doenças, e mediante qualquer caso suspeito de nova doença em circulação.

“A partir da notificação imediata que é feita pelas secretarias municipais de saúde e/ou serviços de saúde em relação à suspeita de qualquer nova doença, o CIEVS Minas dá início ao acompanhamento dos casos, entrando em contato com o profissional que está atendendo aquela ocorrência, orientando em relação aos procedimentos e encaminhamentos necessários que devem ser feitos, enfim, fazendo toda essa articulação para evitar os possíveis riscos de transmissão de uma doença”, destaca Deise Santos. Este monitoramento prosseguirá, inclusive, após o término dos eventos olímpicos, acompanhando a ocorrência de doenças que venham a se manifestar futuramente.

Por Pollyana Teixeira

Foto: Marcelo Santana

<-Voltar