Campanha quer acabar com as doenças tropicais negligenciadas

União de governos, ONGs e laboratórios promete erradicar dez problemas de saúde

LONDRES — Os principais governos do mundo, incluindo Estados Unidos e Reino Unido, a Organização Mundial de Saúde, a Fundação Bill e Melinda Gates, 13 dos maiores laboratórios farmacêuticos, o Banco Mundial, entre outas entidades, se uniram hoje numa campanha para erradicar até 2020 dez doenças tropicais negligenciadas, como lepra, doença de Chagas, tracoma, esquistossomose, males transmitidos por vermes e doença do sono. A ação visa a melhorar a qualidade de vida de milhões de pessoas em todo o planeta.

O grupo se comprometeu a investir US$ 785 milhões em pesquisas de medicamentos para essas doenças e melhorar a distribuição e a doação de fármacos e de programas de tratamento. Os laboratórios têm sido criticado nas últimas décadas por não fazerem o suficiente para combater as doenças tropicais, que atacam principalmente as populações mais pobres. Como essas doenças não geram lucros, eles não se interessam em desenvolver drogas eficazes. Segundo Margaret Chan, diretora da Organização Mundial de Saúde, a ação conjunta vai atacar as doenças tropicais negligenciadas que causam sérios problemas de saúde e óbitos.

— Com este impulso, estou segura de que quase todas essas doenças serão eliminadas ou controladas até o final da década — declarou Margaret.

Especialistas estimam que 1 bilhão de pessoas em todo o mundo são afetadas pelas doenças tropicais, incluindo 500 milhões de crianças. O Banco Mundial também se comprometeu a ampliar o financiamento para ajudar os países africanos a construir sistemas de saúde melhor capacitados para eliminar ou controlar essas doenças.

 

Matéria extraída do jornal O Globo de 31.01.2012

<-Voltar