Ceará – Com 1.361 transplantes em 2013, Ceará estabelece novo recorde

Depois de superar a marca de 1.295 transplantes de 2011, o Ceará fechou o ano de 2013 com um total de 1.361 transplantes de órgãos e tecidos realizados, estabelecendo novo recorde desde a implantação da Central de Transplantes da Secretaria da Saúde do Estado, em 1998. De acordo com os números finais da Central de Transplantes, em todo o ano passado foram realizados 250 transplantes de rim de doador falecido, 15 de doador vivo, 10 de rim/pâncreas, 30 de coração, 194 de fígado, 8 de pulmão, 55 de medula óssea, 9 de valva cardíaca, 762 de córnea, 27 de esclera e um de osso. Em 2013, o Estado registrou também novos recordes de transplantes de fígado, pulmão e medula óssea.

Desde 2007, o Ceará vem registrando recordes sucessivos de transplantes realizados ano a ano, à exceção de 2012. Foram 654 transplantes em 2007, 742 em 2008, 760 em 2009, 872 em 2010, 1.295 em 2011, 1.269 em 2012 e, agora, 1.361 em 2013. Com o crescimento constante das cirurgias, o número de pacientes ativos na lista de espera por transplantes diminuiu consideravelmente e hoje está em 774 pessoas. São 337 pacientes aguardando por transplante de rim, 12 de pâncreas/rim, um de pâncreas isolado, 8 de coração, 132 de fígado, 6 de pulmão, 1o de medula óssea e 268 de córnea.

O crescimento dos números de transplantes no Ceará vem agregado de inovações. Entre elas, destaque para descentralização na captação de órgãos. O Hospital Regional do Cariri, em Juazeiro do Norte, e o Hospital Regional Norte, construídos pelo governo do Estado, fazem captação de órgãos. O serviço aéreo para transporte de órgãos do interior para a capital e até de outros Estados em qualquer dia e hora da semana, assegurado pelo governo do Estado, também contribui  para o aumento e qualidade dos transplantes. Não importa onde, o governo do Ceará vai buscar os órgãos doados.

Ainda nas inovações, o Ceará passou a realizar transplantes de pulmão em 2011. Não foi apenas o primeiro transplante de pulmão do Estado. Foi o primeiro das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Antes de 2011, o Ceará havia comemorado outras duas inovações: em 2008 a realização de transplante de medula autólogo pelo Hemoce, unidade da rede estadual, em parceria com o Hospital Universitário Wálter Cantídio, do governo federal, e em 2009 o primeiro transplante de pâncreas no Hospital Geral de Fortaleza (HGF).

Além dos recordes de 2013, também foram destaques no ano passado os transplantes em crianças e adolescentes. Foram realizados este ano 19 transplantes de rins em crianças e adolescentes de 2 a 19 anos de idade. Assim, o Ceará chegou perto de zerar a fila de espera nessa faixa etária. Só há duas crianças na fila de espera por um novo rim, do total de 360 pacientes ativos na fila. Em 2012, com a demanda ainda reprimida, foram realizados 28 transplantes de rins em crianças e adolescentes, do total de 251 cirurgias do tipo realizadas no Estado, em todas as faixas etárias.

Em crianças e adolescentes, o número de transplantes este ano aumentou no Hospital de Messejana Dr. Carlos Alberto Studart Gomes (HM), da rede Sesa, referência nacional em transplante cardíaco e o único do Norte e Nordeste a realizar transplante cardíaco pediátrico. Em 2012, do total de 29 transplantes, cinco foram realizadas em crianças e adolescentes. Somente no mês de setembro, em apenas três dias, três crianças e adolescentes receberam corações saudáveis no HM.

 

Assessoria de Comunicação da Secretaria da Saúde do Ceará
(85) 3101.5221/ 3101.5220
www.saude.ce.gov.br
Twitter: @SaudeCeara
www.facebook.com/saudeceara

<-Voltar