CI n.72 – O Ministério da saúde ampliou a vacinação contra a hepatite B para os jovens na faixa etária de 20 anos a 24 anos de idade

A hepatite B é uma doença infecciosa, viral, universalmente prevalente com distribuição geográfica homogênea. Esta doença pode se desenvolver de forma assintomática ou sintomática. É responsável por grande número de casos de cirrose hepática e carcinoma hepático, em conseqüência de infecção crônica.

A vacinação no Brasil foi implantada pelo Programa Nacional de Imunizações (PNI) no ano de 1989, gradativamente, iniciando na Amazônia Ocidental para as crianças menores de um ano de idade. Em 2001, tornou-se uma indicação em todo o território nacional para menores de 20 anos e grupos considerados de maior vulnerabilidade como indígenas, profissionais do sexo, pessoas que fazem sexo com pessoas do mesmo sexo, profissionais de saúde e reclusos, entre outros.

O Ministério da saúde, em parceria com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde ampliou, em 2011, a vacinação contra a hepatite B para os jovens na faixa etária de 20 anos a 24 anos de idade. Em 2012, dando continuidade ao processo já iniciado, O Programa Nacional de Imunizações deste Ministério, disponibilizará a vacina hepatite B para as pessoas até 29 anos de idade.
Diante do exposto, o PNI reafirma a necessidade de que todas as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde desenvolvam ações estratégicas de divulgação destas informações junto aos serviços de vacinação de seu estado e município,  para realização de atividades de intensificação vacinal, busca ativa dos faltosos e monitoramento de cobertura vacinal com o objetivo de atingir a meta de 95% e mais, homogênea em todos os municípios do país.

Desta forma, a Coordenação Geral do Programa Nacional de Imunizações (CGPNI) junto com o Departamento DST/AIDS e Hepatites Virais da Secretaria de Vigilância em Saúde e a Assessoria de Comunicação deste Ministério impulsionará a mobilização e divulgação da vacinação contra hepatite B em diversas mídias sociais (face book, Orkut, twitter, etc) para conseguir a ampla participação e adesão dos adolescentes à vacinação.
Essa ação de divulgação aumentará a procura da vacinação nas unidades de saúde, sendo necessária a preparação dos profissionais da sala de vacina para atender este grupo populacional, que é de suma importância para o cumprimento da meta de cobertura vacinal referente à hepatite B.
A CGPNI solicita o envolvimento de todos os Gestores, Coordenadores e parceiros na intensificação da vacinação para a prevenção e controle da hepatite B em todo país.

<-Voltar