Combate ao crack deve ser feito junto com estados e municípios

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, participou, na tarde desta terça-feira (15), do debate sobre o combate ao crack e outras drogas nos municípios de todo o País, durante a XV Marcha dos Prefeitos a Brasília. Também estava presente o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, além de prefeitos, vereadores e representantes da sociedade civil.

Durante o evento, Padilha ressaltou que o Brasil vive uma epidemia de crack e que é necessário tratamento específico. “Caracterizar como epidemia significa definir que existe o problema. E não se enfrenta o crack sem prevenção, cuidado e repressão”. Além das ações já realizadas para combater este problema, esta semana o Ministério da Saúde vai habilitar 22 Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) em oito estados brasileiros. Juntos, Bahia, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e São Paulo receberão, mais de R$ 9, 9 milhões por ano. Com o dinheiro, esses estados poderão custear o funcionamento de oito centros de porte I, dois de porte II, três porte III, quatro direcionados aos usuários de Álcool e Drogas 24 horas e mais cinco destinados ao público infanto-juvenil.

O aumento nos números de CAPS no Brasil faz parte das ações do programa “Crack, é possível vencer”, lançado em dezembro de 2012, pelo Governo Federal. Eles oferecem tratamento continuado a pessoas, e seus familiares, com problemas relacionados ao uso abusivo de álcool e drogas. Atualmente são 1.742 em todo Brasil.

Durante o debate da Marcha, Padilha reforçou que o Ministério da Saúde tem uma área específica para que os municípios possam se informar sobre a oferta de serviço que melhor se adequa à cidade. “É necessária a mobilização de estados e municípios para exterminar o problema em todo o País”, enfatizou o ministro.

Como o município pode procurar ajuda – O Ministério da Saúde distribuiu aos prefeitos presentes na marcha uma cartilha que explica como os municípios podem enviar propostas para participarem de programas e projetos desenvolvidos pelo Ministério da Saúde.

Também foi disponibilizada uma revista para apresentar as principais ações desenvolvidas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), no esforço de melhorar a qualidade do atendimento e ampliar o acesso aos serviços, além de estimular a humanização no atendimento aos usuários e incentivar a qualificação de médicos e outros profissionais de saúde.

Ilana Paiva / Blog da Saúde

<-Voltar