CONASS Debate – A crise contemporânea dos modelos de atenção à saúde. Acompanhe a transmissão ao vivo

 

O predomínio das condições crônicas e a necessidade de modernização dos sistemas de saúde, no Brasil e no mundo, são temas do 3º seminário CONASS Debate

Uma crise está instalada nos setores públicos e privados de saúde em todo o mundo, desencadeada por transições que se alastram rapidamente, alterando a situação de saúde tanto de países ricos quanto dos em desenvolvimento.

As transições demográficas, tecnológicas, epidemiológicas e nutricionais, vivenciadas por países da Europa, Estados Unidos, Canadá e Brasil, não podem ser cessadas. Faz-se necessário, portanto, promover mudanças rápidas no modelo de atenção para que ele seja coerente com a conjuntura da saúde predominante no país.

No Brasil, até a metade do século passado, 40% a 45% das mortes eram causadas por doenças infecciosas. Hoje, esse número é de apenas 4%, o que significa que o modelo de atenção, implantado quando predominavam essas doenças, foi bem sucedido.

Acontece que esse modelo não conseguiu acompanhar a velocidade destas transições, ocasionando o descompasso entre as condições de saúde das populações e a capacidade de enfrentamento dessas situações pelos respectivos sistemas de saúde.

No Brasil, essa situação é agravada tendo em vista a tripla carga de doenças: a predominância das doenças crônicas e a presença ainda importante das doenças infecciosas, somadas às causas externas, que representam o terceiro maior fator de morbimortalidade no país.

 

Como resolver essa crise?

Após muita pesquisa, um grupo de estudiosos desenvolveu, no final dos anos 90, um modelo de atenção à saúde que tem sido aplicado em países desenvolvidos e em quase todos os países europeus. Várias evidências apontam que quando esse modelo é aplicado há um melhor enfrentamento das condições crônicas.

No entanto, para que ele funcione é preciso estabilizar as condições crônicas, controlando, por exemplo, a glicemia do diabético e a pressão arterial do hipertenso, tarefa impossível para o modelo agudo vigente – de emergências, internações hospitalares e pronto-atendimento –, levando o sistema a falhas que seriam evitáveis se a atenção à saúde fosse dada devidamente de acordo com as condições reais de saúde da população.

Esse modelo propõe a introdução e o fortalecimento de práticas mais coletivas, contínuas e interdisciplinares, como o autocuidado apoiado e cuidado compartilhado, nos quais uma equipe formada por diversos profissionais de saúde incentiva e ajuda o paciente a promover e qualificar o cuidado consigo mesmo. Sugere ainda a implantação de prontuários clínicos informatizados, assim como de outros fatores de organização da atenção.

 

CONASS Debate

É a respeito deste modelo de atenção que um dos convidados para a terceira edição do projeto CONASS Debate irá falar. Rafael Bengoa, assessor do programa Obamacare, já foi ministro da Saúde do país Vasco, onde o modelo de atenção às condições crônicas foi implantado com sucesso, já integrou a Organização Mundial da Saúde (OMS) e tem vasta experiência acadêmica.

Além de Bengoa, estão confirmadas as participações de Luiz Facchini, da Universidade de Pelotas (ex-presidente da Abrasco); de Claunara Schilling Mendonca, da Universidade do Rio Grande do Sul (ex-diretora de Atenção Básica do Ministério da Saúde); de Luiz Fernando Rolim Sampaio, da Unimed Belo Horizonte (ex-consultor do Departamento de Medicina de Família e Comunidade da Universidade de Toronto); de Frederico Guanais, da Divisão de Proteção Social e Saúde do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID); e do coordenador técnico do projeto CONASS Debate, Eugênio Vilaça Mendes.

É esperado um público de aproximadamente 300 pessoas no evento promovido pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) que acontecerá no dia 13 de maio de 2014, em Brasília. O seminário CONASS Debate – A crise contemporânea dos sistemas de saúde será transmitido ao vivo, pelo Canal Saúde. Mais informações no www.conass.org.br/conassdebate.

 

Serviço

3º Seminário CONASS Debate – A crise contemporânea dos sistemas de saúde

Data: 13 de maio de 2014

Horário: 9h00 às 17h00

Local: Salão Azul do Hotel Nacional (Setor Hoteleiro Sul, Quadra 01, Bloco A)

Asa Sul, Brasília/Distrito Federal. CEP: 70322-900. Telefone: (61) 3321-7575

 

Contatos

Assessoria de Comunicação Social do CONASS – (61) 3222-3000

Adriane Cruz – (61) 9609-8365

Tatiana Rosa – (61) 9696-4675

<-Voltar