CONASS e Opas promovem seminário para debater modelos de cuidado das condições crônicas na APS

Cerca de 130 pessoas, entre técnicos das secretarias estaduais e municipais de Saúde, Conass, Conasems, Ministério da Saúde, Opas e universidades participaram ontem (21), em Brasília, do I Seminário “Modelos de Cuidado das Condições Crônicas na Atenção Primária à Saúde”.

Realizado pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass) e pela Organização Pan-Americana de Saúde (Opas), o evento constitui-se como uma das atividades do Laboratório de Inovações no cuidado às condições crônicas na APS.

Durante o seminário foram apresentadas aos participantes, cinco experiências no manejo de usuários crônicos: da região de Campinas; do Grupo Hospitalar Conceição; do Projeto Qualidia; da Secretaria Municipal de Saúde de Diadema/SP; e da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba/PR.

Para o secretário executivo do CONASS, Jurandi Frutuoso, a iniciativa de efetivar a Atenção Primária à Saúde e fortalecer os cuidados com as Condições Crônicas são pontos preponderantes para o Conselho. “A tendência mundial da mudança do perfil epidemiológico nos obriga a caminhar em busca de mudanças no nosso modelo de atenção à saúde. O mundo todo tem debatido em busca de soluções para esse desafio e nós também vamos buscar a estratégia mais correta sabendo das dificuldades que temos dentro do SUS”, afirmou.

O representante da OPAS no Brasil, Felix Rigolli falou sobre a importância de se encontrarem respostas efetivas aos desafios das doenças crônicas. “O nosso objetivo é chegar a uma visão integrada do que é a condição de saúde e a resposta que o serviço de saúde tem que dar a ela”.

O seminário contou também com a participação do Ministério da Saúde e da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC/PR) que acompanha a experiência da SMS de Curitiba, tendo como debatedor o sanitarista Eugênio Vilaça.

Para Vilaça, o seminário foi positivo. “Esse encontro nos proporcionou ter boa visão da política oficial do Ministério da Saúde, tanto da vigilância em saúde quanto da Secretaria de Atenção à Saúde, em relação ao enfrentamento das doenças crônicas, além de ter apresentando um conjunto de experiências muito diferenciadas, de lugares e atores diferenciados. Hoje, nós trouxemos cinco experiências, todas muito relevantes da aplicação do modelo de crônicas, com suas riquezas, mas também com suas dificuldades”, finalizou.

 

Confira abaixo todas as apresentações feitas durante o evento:

  • Carmen Lavras – Modelos de Cuidado das Condições Crônicas na Atenção Primária à Saúde – A Experiência de Campinas – donwload
  • Lídia Silveira – Linha de Cuidado de Hipertensão Arterial e Diabetes – Experiência de Diadema/SP – download
  • Claunara Schilling – Mudanças da Atenção à Saúde em Condições Crônicas, em Serviços de Atenção Primária – download
  • Antônio Derci – A Avaliação no Laboratório de Inovações na atenção às condições crônicas na APS em Curitiba – download
  • Deborah Malta – Plano de Ações Estratégicas para o Enfrentamento das Doenças Crônicas não Transmissíveis – download
  • Eduardo Melo – O Ministério da Saúde e os Cuidados às Condições Crônicas – download
  • Micheline Marie – Educação em Saúde para o Auto-Cuidado – Avaliação Contínua de Qualidade na Atenção ao Diabetes – download

 

 

 

Por: Tatiana Rosa – Ascom CONASS

<-Voltar