Crianças que convivem com fumantes estão em risco, diz INCA

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), a fumaça do cigarro possuí mais de quatro mil substâncias que podem provocar 50 doenças diferentes, como hipertensão arterial, trombose venosa, aneurismas, cânceres de pulmão, boca e garganta. O pneumologista vinculado à Divisão de Controle do Tabagismo do INCA, Ricardo Meirelles, explica que até quem não tem o hábito de fumar pode ser prejudicado pelo tabaco, principalmente crianças que convivem com fumantes.

“As substâncias do cigarro, especialmente a nicotina, são cancerígenas e ficam impregnadas nos móveis da residência, dentro do carro. Depois que as substâncias são liberadas elas se decompõem virando substâncias cancerígenas que podem levar a doenças. A própria criança fica exposta porque às vezes ela passa a mão, o bebezinho engatinhando passa a mão no carpete, no tapete, e acaba inalando essas substâncias tóxicas”, explica o pneumologista Ricardo.

A consultora de projetos educacionais, Grazielle Bianchi, por exemplo, é fumante há cinco anos. Ela conta que não consegue abandonar o vício, mesmo sabendo que a filha de três anos de idade está exposta à fumaça. “A gente se sente culpada e a gente tenta fazer o máximo para não atingir ela, mas querendo ou não sempre está atingindo. É um vício como qualquer outro, eu tento não fumar lá em casa, quando eu fumo é no banheiro, para estar sempre longe dela. Dentro do carro eu só fumo quando ela não está, mas de qualquer forma fumo dentro do carro aí fica impregnado no estofado do carro, a gente sente quando entra no carro. Eu tento evitar, mas é quase inevitável.”, relatou Grazielle.

O pneumologista do Inca faz um alerta à Grazielle e aos demais tabagistas que têm crianças em casa. “O fumante tem que ter consciência que ao fumar em casa ele está prejudicando também as pessoas que ele mais gosta. Não existe um lugar seguro na residência para fumar. Está comprovado que qualquer lugar que ele fume vai prejudicar as pessoas que que não são fumantes, especialmente crianças”, alerta Meirelles.

O pneumologista Ricardo Meirelles esclarece ainda que todo fumante é um dependente químico e, por isso, deve procurar atendimento médico. Criado em 2006, o Programa Nacional de Controle do Tabagismo oferta tratamento gratuito para fumantes em todo o país. Para mais informações acesse: www.inca.gov.br.


Fonte: Hortência Guedes / WebRádio Saúde / Agência Saúde

Foto: Corbis

<-Voltar