MS apresenta mapa da doença no país e nova campanha


O Ministério da Saúde apresentou hoje o resultado do estudo LIRAa 2011  (Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti), que permite ao órgão conhecer a situação da dengue em todo o país. De acordo com o LIRAa 2011, 48 municípios brasileiros estão em situação de risco para ocorrência de surto de dengue. O mapa, que permite identificar onde estão concentrados os focos de reprodução do mosquito transmissor, foi realizado entre os meses de outubro e novembro deste ano. Nos municípios em situação de risco, mais de 3,9% dos imóveis pesquisados apresentaram larvas do mosquito. Ao todo participaram 561 cidades.

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, explicou que o estudo é uma espécie de fotografia fundamental para orientar as ações de controle, pois possibilita que os gestores locais de saúde antecipem as ações de prevenção. “As cidades que estão em situação de alerta, não podem baixar a guarda: ao contrário, devem intensificar suas ações. Já os municípios em situação de baixo risco podem migrar para uma grande epidemia”, alertou.

O mapa revelou que 4,6 milhões de pessoas vivem em áreas de risco para epidemia de dengue. “Além do sistema de vigilância convencional, contamos, a partir de agora, com o Observatório da Dengue, mais uma ferramenta que irá nos ajudar no monitoramento da doença por meio das redes sociais”, ressaltou o ministro.

Os municípios em situação de risco, incluindo três capitais – Rio Branco (AC), Porto Velho (RO), Cuiabá (MT) –  estão localizados em 16 estados brasileiros: quatro na Região Norte; sete no Nordeste ; três no Sudeste; um no Centro-Oeste e um na Região Sul.

Assista ao vídeo abaixo no qual Jurandi Frutuoso, secretário executivo do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), destaca a importância das secretarias municipais no trabalho de combate à dengue.

Nova campanha – Também foi lançada hoje a Campanha Nacional de Combate à Dengue 2011/2012. Com o slogan “Sempre é hora de Combater a Dengue”, o objetivo é reforçar a sensibilização da população sobre a importância da prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, mantendo hábitos simples como limpar calhas, caixas d’água e recolher o lixo.

Com formato educacional e informativo, a campanha será dirigida aos professores, agentes de saúde, gestores municipais, educadores, profissionais de saúde, crianças e a população em geral.

Assista ao vídeo abaixo na qual Jurandi Frutuoso, secretário executivo do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (Conass), destaca a importância das secretarias municipais no trabalho de combate à dengue.

Fonte: Ministério da Saúde

<-Voltar