Deputados defendem volta da CPMF para financiar saúde

Brasília – Os deputados Jorge Solla (PT-BA) e Chico d’Angelo (PT-RJ), entre outros parlamentares, defenderam o retorno da cobrança da CPMF, a antiga contribuição provisória sobre movimentações financeiras, criada para financiar a saúde e extinta por uma decisão do Congresso Nacional em 2007. Os dois deputados acreditam que a falta de recursos enfrentada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) pode levar à sua falência e ameaça a universalidade do acesso à saúde garantido na Constituição.

“Pra esse sistema ser solidário, vai ter de tirar dinheiro dos grandes lucros no País. Defendo a volta da CPMF. Quem pagava era a minoria da população, e elas podem voltar a pagar”, disse Jorge Solla.

Chico d’Angelo disse acreditar que a extinção do chamado imposto do cheque se deu para atrapalhar o então governo de Luiz Inácio Lula da Silva. “A saúde não pode trabalhar com a lógica partidarizada.”

Os parlamentares participam do simpósio “Saúde: direito de todos, dever do Estado”.

O deputado Toninho Pinheiro (PP-MG), por outro lado, disse ser favorável ao retorno da CPMF, desde que não haja desvios dos recursos. “Vamos falar a verdade: o governo federal precisa ter suas prioridades e fazer a sua parte, que não está fazendo. Por quantos anos teve CPMF e não melhorou nada na saúde?”, provocou.

O financiamento da saúde no Brasil tem sido o principal ponto abordado no encontro. Inclusive, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, reconheceu que existe subfinanciamento, mas afirmou que as discussões devem se centrar também em uma melhor gestão dos recursos.

Reportagem – Noéli Nobre
Edição – Patricia Roedel
Foto: Alex Ferreira/Câmara dos Deputados
A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura ‘Agência Câmara Notícias

<-Voltar