Piauí – Dia Nacional do Teste do Pezinho será comemorado com palestra

O Programa Nacional de Triagem Neonatal foi implantado no Piauí em 2004

Na próxima quinta-feira (06), é comemorado em todo o país, o Dia Nacional do Teste do Pezinho. A data será lembrada em Teresina com uma palestra, a partir das 8h30, no Auditório da Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER). A atividade tem como principal objetivo informar à população sobre o Programa Nacional de Triagem Neonatal.

“O Teste do Pezinho uma ação preventiva, que permite o diagnóstico de diversas doenças congênitas e infecciosas, assintomáticas no período neonatal, a tempo de se interferir no curso da doença, permitindo dessa forma, o tratamento precoce e específico”, diz Júlia Medeiros Almeida Moita, Coordenadora de Atenção à Pessoa com Deficiência (CAPD) da Secretaria de Estado da Saúde do Piauí.

O Programa Nacional de Triagem Neonatal foi implantado no Piauí em 2004, através do Hospital Infantil Lucídio Portela. De lá para cá, através de ações da Secretaria de Estado da Saúde, o serviço vem avançando de forma relevante. Hoje, o Estado conta com 257 postos de coleta, abrangendo todos os 224 municípios. “Eles enviam as amostras ao LACEN para serem testadas. Este, junto com a Maternidade Dona Evangelina Rosa,  faz a capacitação dos técnicos responsáveis pela coleta do PNTN nos Municípios”, explica a coordenadora.

No ano de 2012, foram triadas 84,17% das crianças nascidas vivas. Da implantação do PNTN no Piauí em 2004 a dezembro de 2012, foram triadas 66,5% de crianças nascidas vivas.  Neste mesmo período, foram diagnosticadas e estão sendo acompanhadas 120 crianças com Hipotireoidismo Congênito e 17 com Fenilcetonúria.

“Com a realização do Teste do Pezinho e o acompanhamento das crianças diagnosticadas positivamente, é possível, a diminuição das sequelas associadas a cada doença, como por exemplo, a deficiência intelectual”, ressalta  Júlia Madeiros.

O Teste foi incorporado ao Sistema Único de Saúde (SUS) em 1992, tornando-se obrigatório em todos os recém-nascidos vivos, para identificação de duas patologias: a Fenilcetonúria e o Hipotireoidismo Congênito. Com as portarias GM/SM n° 822 de 06 de junho de 2001 e nº 2829 de 14 de dezembro de 2012, foi ampliado o número de patologias da Triagem Neonatal, quando, além da Fenilcetonúria e Hipotireoidismo Congênito, foram incluídas a Anemia Falciforme e outras Hemoglobinopatias, Fibrose Cística, Hiperplasia Adrenal Congênita e Deficiência de Biotinidase.

Foto: Internet

Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi)
Assessoria de Comunicação
www.saude.pi.gov.br
(86) 3216-3610 / 8802-9604 / 8851-2074

<-Voltar