Diálogo com a família é fundamental para afastar adolescentes do alcoolismo

As bebidas alcóolicas estão cada vez mais presentes entre os jovens brasileiros, de acordo com levantamento recente do Ministério da Saúde. O estudo mostra que 71% dos adolescentes de 13 a 15 anos já tomaram bebidas alcoólicas.

A coordenadora da área da Saúde do Adolescente do Ministério da Saúde, Teresa de Lamare, destaca que o consumo de álcool na adolescência é muitas vezes incentivado pela mídia. ”Ao mesmo tempo que o Ministerio da Saúde diz que é prejudicial à saúde, que não pode, você tem uma propaganda que diz que se ele beber ele vai ganhar a mulher loura da vida dele, ou vai ficar poderoso, enfim: são muitas informações que não contribuem para que o adolescente possa perceber o quanto prejudicial é para a sua vida, para o seu organismo, o uso da bebida alcoolica”.

A autônoma Regina Oliveira sabe que a filha de 15 anos já tomou vinho. Por isso, ela fica preocupada quando a jovem está fora de casa: ”A gente fica com essa preocupação porque nem todos os pais abordam com os filhos os temas álcool e drogas. Então a minha preocupação é esta: orientar que faz mal para a vida toda, não é só naquele momento em que eles estão bebendo.”

E Regina está no caminho certo. A coordenadora Teresa de Lamare diz que o papel da família é sempre orientar os filhos sobre os riscos da bebida. ”O que a gente defende mesmo é o diálogo. É fundamental o diálogo, a não violência nesses momentos em que há um embate natural, que é extremamente positivo e construtivo para a formação de um indivíduo.”

O consumo de bebida na adolescência pode levar a outros problemas, como a gravidez indesejada, o sexo sem camisinha e os acidentes de trânsito.

Foto: Corbis Images

Ouça a matéria da Web Rádio Saúde

Fonte: Débora Rocha / Web Rádio Saúde

<-Voltar