“Estamos fazendo parte da história do SUS”, afirma servidor que atua no Acre

Desde 2008 o técnico da Coordenação Geral de Urgência e Emergência (CGUE/SAS/MS), Wender Antônio de Oliveira, tem se especializado para trabalhar com desastres de origem química, biológica e até nuclear. A vontade de trabalhar em situações de risco fez com ele procurasse a Força Nacional do Sistema Único da Saúde (FNS-SUS). “É muito emocionante fazer parte deste grupo. Como é um projeto novo, estamos fazendo parte da história do SUS, que será perpetuada por muitos e muitos anos”, afirma.

Enfermeiro de formação e morador de Brasília, Wender coordena uma das equipes que atua na frente de emergências do estado do Acre. Esta não é a primeira vez que ele participa de uma missão da FNS-SUS. A primeira experiência foi durante o evento-teste de monitoramento do bloco carnavalesco Galo da Madrugada, que agrupa mais de 1,5 milhão de pessoas por 4,5 quilômetros, em Recife (PE). “Gostaria de ter palavras para expressar o tanto que participar da Força Nacional é valoroso. O primeiro ganho é o fato de conhecer novos profissionais. Criamos vínculos de amizade muito grandes”, diz.

“Também é uma chance de colocar em prática aquilo que estudamos e aprimorarmos esse conhecimento”, afirma Wender. Além da oportunidade profissional, ele fala sobre a importância de ajudar comunidades em situações de risco e mudar a vida das pessoas. “Chegar em campo, ver a cidade atingida pelo desastre natural, se envolver e prestar atendimento adequado, principalmente nesses casos, nos dá um enorme ganho humano. Trabalhamos segurando as emoções para conseguir fazer o melhor por cada um deles”, conta.

A Força Nacional do SUS foi criada em 2011 para agir no atendimento a vítimas de desastres naturais, calamidades públicas ou situações de risco epidemiológico (surtos de leptospirose após enchentes, por exemplo) que exijam uma resposta rápida e coordenada, apoio logístico e equipamentos adequados de saúde.

Servidores públicos, funcionários de hospitais universitários, além de voluntários que atuam na área da saúde participam das ações. Os profissionais recebem capacitação contínua do Ministério da Saúde para atenderem em situações adversas.

FNSUS no Acre – Neste sábado (3), mais duas equipes da Força Nacional do Sistema Único da Saúde serão enviadas para o Acre para reforçar a assistência à população dos municípios mais afetados pelas fortes chuvas e pela elevação do nível do rio Acre.

O grupo é composto por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Trinta voluntários da FNS-SUS estão neste momento atuando em Rio Branco, Santa Rosa do Purus, Xapuri, Brasiléia e Porto Acre.

A participação das equipes da FNS-SUS atende solicitação do governo do Acre. Ao todo, 12.578 pessoas ficaram desabrigadas, necessitando de abrigos temporários para serem alojadas. Outras 116.151 pessoas ficaram desalojadas, com habitações danificadas ou destruídas, mas ainda sem necessidade de recorrer aos abrigos temporários. Não foi registrado óbito até agora no Acre por causa das enchentes.

Fonte: Comunicação Interna do Ministério da Saúde

<-Voltar