Estudo promovido pela SES/MG revela impacto financeiro e na atenção à saúde a partir da implantação do modelo de atenção às condições crônicas em uma microrregião

Confira o estudo comparativo produzido pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), a respeito do trabalho desenvolvido pela Secretaria Municipal de Saúde de Lagoa da Prata – MG e pelo Centro Hiperdia Minas de Santo Antônio do Monte – MG, o qual revelou resultados promissores decorrentes da organização da Rede Hiperdia Minas em nível microrregional.

Os resultados foram explicitados especialmente no que se refere ao impacto financeiro da organização da assistência aos usuários diabéticos com controle metabólico ruim, atendidos de forma compartilhada entre o município e o Centro Hiperdia Minas de Santo Antônio do Monte, além de relatar resultados positivos em termos de organização da rede e no que se refere à satisfação do usuário e dos profissionais envolvidos com o modelo de atenção às condições crônicas adotado pela SES MG.

O texto faz parte de uma nova linha de produção no âmbito da gestão do conhecimento e produção de evidência para a gestão, coordenado pela OPAS/OMS Brasil com a parceria do Ministério da Saúde, Conass e Conasems.

Rede – O Centro Hiperdia Minas de Santo Antônio do Monte faz parte da Rede Hiperdia Minas, rede de atenção prioritária em Minas Gerais desde 2009 que beneficia mais de 2,6 milhões de mineiros, o equivalente a 13,61% da população e segue o Modelo de Atenção às Condições Crônicas para o SUS, elaborado por Mendes, o qual classifica os hipertensos por grau de risco cardiovascular e os diabéticos de acordo com o controle metabólico.

Acesse abaixo a publicação completa:

Consolidando a Rede de Atenção às Condições Crônicas: Experiência da Rede Hiperdia de Minas Gerais.

<-Voltar