Frente em Defesa do SUS é lançada em Brasília

Brasília será sede da Reunião de adesão a Frente em Defesa do SUS, que acontecerá na sala do pleno do Conselho Nacional de Saúde (CNS), na terça-feira (10.11), das 10h às 16h. O evento é uma ação do CNS e contará com a participação de entidades parceiras na defesa do Sistema Único de Saúde (SUS).

O processo de subfinanciamento do SUS é histórico e teve continuidade em 2015 e poderá agravar-se nos anos seguintes. O crescimento acelerado da insuficiência orçamentária irá refletir diretamente na vida da população e na qualidade do atendimento das diferentes unidades de serviços existentes no Brasil.  Neste contexto, o CNS mobiliza-se para um amplo debate em defesa da saúde pública do país.

Para Ronald Santos, conselheiro nacional de saúde, poucas vezes na história do SUS se fez tão importante um movimento em defesa da saúde pública. “A agenda da Frente deve ser conjunta com ações no parlamento, nas ruas e principalmente na 15ª Conferência Nacional de Saúde, que acontece em dezembro deste ano”, diz.

A iniciativa da Frente em Defesa do SUS parte de experiências de mobilizações que já possuem uma grande aderência, como a campanha Saúde+10.  A fonte dos recursos para tal seria, por exemplo, a taxação de grandes fortunas e grandes transações financeiras.

De acordo com a presidenta do CNS, Maria do Socorro de Souza, a defesa do direito universal da saúde é um desafio que deve ser ampliado e fortalecido, exigindo muita mobilização dos atores que integram organizações que atuam na área da saúde. “A agenda que estamos propondo tem um potencial para agregar vários parceiros, por isso todos que defendem a democracia e o SUS devem participar”, afirma.

A Frente também será publicizada durante o ato político na Esplanada dos Ministérios, no dia 1 de dezembro, na abertura da 15º Conferência Nacional de saúde. A manifestação será em defesa da democracia, da participação e das políticas públicas.

Por Mariana Moura, do CNS.

<-Voltar