Governo de Goiás inaugura maior hospital de urgências da região Centro-Norte do país

A população goiana recebe, nesta segunda-feira, 6 de julho, o maior e mais moderno hospital de urgências da Região Centro-Norte do País. Ao lado do Ministro da Saúde, Arthur Chioro, o governador de Goiás, Marconi Perillo, o secretário de Estado da Saúde, Leonardo Vilela, e o presidente da Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Jayme Rincón, inauguram, às 10 horas, o Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira (Hugol). A solenidade será realizada no auditório do hospital. O Hugol será administrado pela Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (AGIR).

As autoridades assistirão a um vídeo inédito sobre o Hugol. Em seguida, farão os discursos o superintendente executivo da Agir, Sérgio Daher; o presidente da Agetop, Jayme Rincón; o secretário Leonardo Vilela; o ministro Arthur Chioro; e o governador Marconi Perillo. Por último, o cardeal de Roma, Dom Lorenzo Baldisseri, conselheiro da Pontifícia Comissão para a América Latina, fará uma benção.

Na ocasião, será assinada portaria do Ministério da Saúde autorizando o aporte de recursos, para o custeio da unidade, no valor de R$ 32.110.306,32 (trinta e dois milhões, cento e dez mil, trezentos e seis reais e trinta e dois centavos) para o ano de 2015. O Hugol custará, por mês, R$ 15.290.622,06 (quinze milhões, duzentos e noventa mil, seiscentos e vinte e dois reais e seis centavos).

A solenidade será finalizada com o descerramento da placa de inauguração e dos totens de homenagem. Os painéis trazem os nomes de todos aqueles que colaboraram, de alguma forma, com a construção do Hugol: idealizadores e responsáveis pelo projeto, trabalhadores da obra, secretários da Saúde e servidores da SES-GO, presidente e funcionários da Agetop e, ainda, uma placa especial que homenageia o governador Otávio Lage de Siqueira.

Funcionamento
Após o encerramento do evento, ao meio-dia, o Hugol abrirá as portas para receber os pacientes. A ocupação dos 510 leitos ocorrerá à medida do fluxo de regulação, segundo o perfil de atendimento definido para o hospital.

O secretário de Estado da Saúde de Goiás, Leonardo Vilela, esclarece que o Hugol atenderá os casos referenciados pelo Complexo Regulador do Estado e da capital. Para a unidade, enfatiza, serão encaminhados predominantemente os casos de gravidade.

Segundo acordo definido entre a SES-GO/ SMS Goiânia e Associação Goiana de Integralização e Reabilitação (Agir), Organização Social que administrará a unidade, o pedido à Central de Regulação será feito pelo Samu, Siate e Central de Regulação e pelos Cais Goiá, Campinas, Curitiba, Cândida de Morais e Finsocial. Depois da triagem pelos médicos do Hugol, os casos menos graves serão encaminhados para os Cais Finsocial, Amendoeiras, Jardim América e Guanabara.

Quem mora no interior também seguirá o sistema de regulação para ter acesso ao Hugol. O hospital atenderá preferencialmente os habitantes dos municípios da região Oeste do Estado, que compõem as regionais de Saúde da Cidade de Goiás, Iporá e São Luís de Montes Belos. O Samu ou hospitais destas cidades entrarão em contato com o Sistema de Regulação de Goiânia, que definirá o encaminhamento do paciente para o Hugol.

A prioridade de atendimento no Hugol será para os casos de Acidente Vascular Cerebral (AVC), infarto, queimados graves e politrauma pediátrico. Também fazem parte deste grupo prioritário os pacientes com politraumatismo residentes nas regiões Noroeste e Oeste de Goiânia, que formam a área de abrangência do Hugol.

Serviços de excelência
O Hugol oferecerá à população goiana serviços de saúde que serão referência na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) do Estado. Um deles é o Centro de Queimados Dr. Nelson Picollo. O serviço será o único de alta e média complexidade para vítimas de queimaduras no SUS em Goiás e terá um atendimento multiprofissional, humanizado e com equipamentos de ponta.

O atendimento prestado no Hugol será para os queimados com risco eminente de morte. A unidade será uma referência para queimaduras com lesões graves, que precisam de internação imediata. O atendimento será em casos de queimaduras de 2º e, especialmente, de 3º grau.

Um diferencial do Hospital de Urgências Governador Otávio Lage de Siqueira é o atendimento das urgências clínicas, que compreendem os casos graves de especialidades como a Cardiologia, Urologia, Neurologia, Pneumologia, Nefrologia, Hematologia e Clínica Geral.

O atendimento de traumatologia pediátrica também vem suprir uma lacuna na rede estadual de saúde. O Hugol será referência no Estado na assistência hospitalar de alta complexidade em crianças vítimas de traumas. Com o perfil diferente do Hospital Materno Infantil (HMI), concentrado no atendimento em urgências clínicas, o Hugol terá, para o atendimento pediátrico, 60 leitos de enfermaria e 19 de UTI e será responsável por diminuir os gargalos da oferta de atendimentos na rede de urgências em pediatria. Até o momento, os casos de ortopedia/trauma em crianças não possuíam uma unidade de referência no SUS em Goiás.

Outra exclusividade do novo hospital será o Banco de Sague. Inserida na Hemorrede Pública de Goiás, a unidade é a primeira do território brasileiro a ter o sistema Hemovida Web testado por completo, o que inclui desde o cadastro até a dispensação do hemocomponente. O Hemovida Web conta com o suporte do Ministério da Saúde e DataSUS e é um projeto-piloto do Ministério.

Sustentabilidade
O projeto do Hugol, elaborado por técnicos da Agetop, seguiu padrões internacionais exigidos pelos organismos de saúde, o que o tornou o mais moderno hospital de urgências em funcionamento no país. A obra foi construída com custo reduzido, com emprego de tecnologia e técnicas que permitiram agregar valor ao prédio.

Com nove grupo geradores e aquecimento solar, que baratearão o custo de sua manutenção, o Hugol possui também uma Laje Técnica que concentra os controles-mestres de todo o hospital, que permite realizar serviços de conservação com o mínimo de transtornos na rotina da unidade.  É possível, por exemplo, consertar um problema hidráulico ou elétrico sem ter que remover pacientes dos leitos. O seu diferencial passa ainda pelo acesso biométrico aos departamentos e aos centros cirúrgicos, que é feito por equipamentos de alta tecnologia, no controle e fiscalização de entrada e saída.

Para humanizar o espaço externo que circunda o Hugol, construído em terreno de 137 mil metros quadrados, foi desenvolvido um projeto paisagístico de fácil manutenção e com irrigação automatizada, o que dá brilho especial a toda sua área verde. Com a mesma preocupação foi criada a Capela Ecumênica para os momentos de oração. Ornamentada com tipos variados de flores e arbustos, a Capela recebeu um painel de vitral, doado pelo artista plástico goianiense Duda Badan.

O hospital conta ainda com a Central de Resíduos, com triturador de lixo e autoclave, redes de gases medicinais e lógica, rede própria de saneamento básico e central de esterilização de materiais. A autoclave e o triturador de lixo estão entre as aquisições de maior destaque. O conjunto é o primeiro a ser adquirido na região Centro-Oeste.

Na parte externa o Hugol possui estacionamento para 1.000 veículos, projeto paisagístico e heliponto para agilização do atendimento emergencial.

Hugol em números
Prédio
Início das obras: Ordem de Serviço expedida em 3 de junho de 2013
Construído em prazo recorde: 25 meses

Investimentos
Inteiramente feitos pelo Tesouro Estadual
Obra: R$ 168.255.381,42 milhões (cerca de 2.400,00 reais o m2, menor que a média para obras de grande porte que é de 2.500,00 reais/m2).
Equipamentos: R$ 95.348.409,02 milhões em equipamentos, insumos e mobiliário.
Custeio: R$ 15.290.622,06/mês

Perfil
Unidade de Saúde de alta e média complexidade em Urgência e Emergência, Hospital da Rede Hugo com acesso Regulado. Hospital de assistência, ensino, pesquisa e extensão universitária.

Especialidades
Cirúrgica: cirurgia geral, pediátrica, bucomaxilofacial, torácica, plástica (para o centro de queimados), neurológica, vascular e ortopédica/traumatológica;
Médica: clínica geral, pediátrica, cardiológica, gastroenterológica, urológica, neurológica, pneumológica, nefrológica, hematológica;
Medicina intensiva: adulta e pediátrica, unidade de queimados

Ficha técnica
• Ambientes: 510 leitos
• Emergência: 58 boxes
• Enfermarias: 360 (60 Ortopedia e Traumatologia, 60 Clínica Médica, 60 Especialidades, 60 de Cardiovasculares, 60 de Clinica Pediátrica, 60 de Clinica Cirúrgica).
• Centro de Queimados: 13 (6 Apartamentos Individuais sendo 1 leito de isolamento e   7 leitos de UTI)
• UTI: 86 (60 Adulto, 19 Pediátrica e 7 Queimados)
• 21 Salas Cirúrgicas
• Setor de Hemodinâmica (Banco de Sangue) – Previsão de 2,5 a 3 mil transfusões/mês; primeira unidade do Brasil a usar o sistema Hemovida Web
• 21 Consultórios de retorno
• Central de Diagnósticos para Exames de tomografia, ultrassonografia, eletrocardiograma, ecocardiografia com ecodoppler, raio-x, endoscopia, videolaparoscopia, análises clínicas, anatomia patológica e terapia renal substitutiva.

Capacidade de Atendimento
Internação: capacidade para 510 internações
Cirurgias: até 21 cirurgias simultâneas
Exames: atendimento de 24 horas para emergência e exames para regulação
Consultas: consultas de retorno, de acordo com a demanda.
Funcionários:
3.000 profissionais
497 médicos
Estimativa de movimentação diária de pessoas: 7 mil pessoas

Fonte: Ascom SES/GO

<-Voltar