Governo do Maranhão debate Planificação da Atenção Primária em Saúde com o CONASS

Secretário Carlos Lula e o secretário executivo do Conass, Jurandi Frutuoso, discutem a Planificação da Atenção Primária em Saúde. Foto: Francisco Campos

Secretário Carlos Lula e o secretário executivo do Conass, Jurandi Frutuoso, discutem a Planificação da Atenção Primária em Saúde. Foto: Francisco Campos

Considerando o investimento em ações voltadas para prevenção como melhor caminho para garantir uma saúde de qualidade para todos, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado de Saúde (SES), tem focado na Atenção Primária desde o início da atual gestão estadual. Na manhã desta terça-feira (14), o secretário de Estado de Saúde, Carlos Lula, se reuniu com o secretário executivo do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS), Jurandi Frutuoso, para discutir a Planificação da Atenção Primária em Saúde, iniciada no estado pela regional de Caxias em janeiro de 2016.

A medida inédita no Maranhão teve a primeira oficina realizada em setembro de 2015 e consiste em mais uma forma de o governo evidenciar o compromisso que tem firmado com a prevenção e promoção da saúde. Segundo o secretário Carlos Lula, durante a reunião, foi possível mensurar os resultados já alcançados na regional de Caxias e assim, traçar o plano para as próximas regionais.

“Ainda não temos como fazer a planificação em todas as 19 regionais. Começamos pela regional de Caxias como polo, e tudo o que está sendo observado servirá para dimensionarmos e instalarmos nas demais. Temos certeza que conseguiremos reduzir os indicadores negativos de saúde no estado com ações da SES e das Secretarias Municipais de Saúde, com ajustamento de trabalho que gerem resultados positivos para a população do estado”, explicou Carlos Lula.

O secretário executivo do CONASS, Jurandi Frutuoso, ressaltou a preocupação do CONASS em acompanhar de perto o que tem sido realizado pelas Secretarias de Estado. “O Maranhão tem feito grandes investimentos nessa área. Viemos reforçar o compromisso do CONASS por saber que a oferta do serviço na atenção básica pode ser qualificada e melhorar na qualificação profissional e assistencial da saúde”, garantiu.

Resultados da Planificação

O CONASS propõe a planificação da Atenção Primária em Saúde em todo o Brasil por meio de um processo de planejamento de atenção à saúde. O projeto consolida-se com a realização de 11 oficinas presenciais e tutoriais, que culminam em um plano de intervenção da APS no âmbito municipal e estadual.

No Maranhão, a redução efetiva de indicadores de mortalidade materno infantil e internação hospitalar, decorrentes da hipertensão e diabetes, têm sido priorizadas. Em Caxias, cerca de 1.700 profissionais de níveis médio e superior estão participando das oficinas de planificação. As oficinas presenciais que abordam temas relacionados ao modelo de assistência na Atenção Primária, tiveram início em janeiro e serão concluídas em setembro. Os tutoriais que funcionam como a parte prática da organização do modelo assistencial teve início em março e segue até dezembro de 2016.

A regional foi escolhida pela SES devido o seu perfil assistencial, por concentrar uma gama de municípios (Afonso Cunha, Aldeias Altas, Buriti, Caxias, Coelho Neto, Duque Bacelar e São João do Sóter), além de apresentar altos índices de mortalidade infantil. Dentre os avanços desses seis primeiros meses estão a adequação do Protocolo Operacional Padrão (POP) de Imunização (baseado no estado do Ceará), implantação do bloco de horas nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) em Coelho Neto, Duque Bacelar e Baixinha, avaliação da classificação de risco das famílias de sete UBS, instalação do Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações (SIPNI) em Baixinha e Centro de Saúde de São João do Sóter, além de fortalecimento do sistema em Duque Bacelar.

Além disso, por meio de levantamento das condições crônicas das UBS, cerca de 200 crianças menores de cinco anos foram diagnosticadas com desnutrição moderada ou grave e tiveram acesso ao tratamento adequado. No município de Afonso Cunha, 94 famílias foram classificadas como de risco. Em outras UBS houve diminuição das filas para consultas e atendimentos e identificadas cinco áreas por Agentes Comunitários de Saúde (ACS).

 

Fonte: Casa Civil do governo do Maranhão

<-Voltar