Governo financia 156 bolsas em enfermagem

O Ministério da Saúde divulgou por meio da Portaria N° 5, a lista definitiva de instituições participantes do Programa Nacional de Residência em Enfermagem Obstetrícia (PRONAENF), iniciativa inovadora do governo federal, destinada a incentivar instituições de educação superior a formarem profissionais de enfermagem especialistas em obstetrícia. Estão participando 18 instituições de ensino, em 13 unidades da federação. A adesão ao programa foi promovida por meio de edital publicado em setembro. Ao todo, estão sendo financiadas pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação 156 bolsas em enfermagem obstétrica.

O PRONAENF vai formar enfermeiros obstetras para serem inseridos no Sistema Único de Saúde (SUS), nas regiões que aderiram à estratégia Rede Cegonha. Os profissionais vão atuar desde o pré-natal e parto até o nascimento e pós-parto, dentro do preconizado pela Rede Cegonha. A estratégia visa intensificar a assistência integral à saúde das mulheres e crianças, do planejamento reprodutivo – passando pela confirmação da gravidez, parto, puerpério – até o segundo ano de vida do filho.

“Esta ação contribui para a qualificação da Rede Cegonha, pois capacita os enfermeiros a prestarem um serviço humanizado e de qualidade à criança e à mulher”, explica o secretário de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, Mozart Sales. As instituições de ensino aprovadas estão localizadas em locais que aderiram à Rede Cegonha, e já podem oferecer as novas vagas nos editais de seleção de residência deste ano, para serem cursadas em 2013. Os enfermeiros participantes receberão uma bolsa no valor de R$ 2.384,82 durante os dois anos da residência.

Rede Cegonha – Uma das diretrizes da Rede Cegonha consiste na mudança do modelo da atenção aplicado ao parto e ao nascimento. Dentro da estratégia, estão previstos os Centros de Parto Normal, unidades que funcionam em conjunto com as maternidades para humanizar o parto e o nascimento, e contam com a inserção dos enfermeiros obstetras na assistência ao parto de risco habitual. Para a implementação deste novo modelo, é importante a intensificação da formação e especialização de profissionais com este perfil, para que possam atuar no SUS.

UF

 

INSTITUIÇÃO DE ENSINO

 

 

BOLSAS

 

AC

Universidade Federal do Acre (UFAC)

6

AM

Universidade Federal do Amazonas (UFAM)

6

BA

Escola de Enfermagem da Universidade Federal da Bahia (UFBA)

12

CE

Universidade Federal do Ceará (UFC)

6

MG

Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) / Hospital Sofia Feldman

24

(12 / 12)

MG

Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL/MG)

6

MS

Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS)

6

PA

Universidade Federal do Pará (UFPA)

12

PI

Universidade Federal do Piauí (UFPI)

8

RO

Universidade Federal de Rondônia (UFR)

12

RJ

Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)

6

RJ

Universidade Federal Fluminense (UFF)

12

RJ

Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)

12

RJ

Instituto Fernandes Figueira/Fiocruz

6

RS

Centro Universitário Franciscano (UNIFRA)

6

SE

Universidade Federal de Sergipe (UFS)

4

SP

Escola de Enfermagem da Universidade Estadual de São Paulo (USP)

6

SP

Universidade Federal de São Paulo (UVIFESP)

6

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto: Internet

<-Voltar