Grupo condutor do Saúde em Rede avalia implantação do projeto piloto no vale do Jequitinhonha

Foto: Ricardo Maciel

Com a missão de reorganizar e otimizar os processos de trabalho da saúde no Estado, o projeto Saúde em Rede, lançado em Diamantina no final de julho de 2019, pelo Governador Romeu Zema, chega ao seu sexto mês de implantação. Ao todo 29 municípios fazem parte dessa etapa de implantação do projeto piloto, que servirá de base para a expansão nos demais municípios mineiros.

Para avaliar o trabalho e o efeitos da implantação do projeto até o momento, foi realizada, na última sexta-feira (31/01), a quarta Reunião do Grupo Condutor do Saúde em Rede. O encontro aconteceu no auditório da Regional de Saúde de Diamantina e contou com a participação do Subsecretário de Políticas e Ações de Saúde, Marcílio Dias Magalhães e equipe; do Superintendente de Desenvolvimento, Cooperação e Articulação Regional, Ricardo Assis Alves Dutra; da Superintendente Regional de Saúde de Diamantina, Cleya da Silva Santana Cruz; da representante do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Marta Barrero, além de gestores da saúde e prestadores de serviços da região.

Em pouco mais de seis meses, desde o início da sua implantação, o Saúde em Rede já está conseguindo promover avanços importantes, foi o que relatou Weslley Viana Silva, gestor do município de Jenipapo de Minas. “Nós temos uma população de cerca de sete mil habitantes, com um perfil que não gosta de agendamento, eles querem consultas, um modelo que vem nos sobrecarregando muito. O Saúde em Rede está nos ajudando muito a mudar essa realidade. Depois que a nossa equipe da saúde iniciou a capacitação, eles começaram a perceber e a valorizar muito a prevenção, além de refletirem sobre a necessidade da mudança nos processos de trabalho, especialmente com o direcionamento de grande parte das demandas para a Equipe de Saúde da Família, que tem a missão de promover a qualidade de vida da população e intervir nos fatores que colocam a saúde em risco”, afirmou Weslley.

Segundo a coordenadora do Saúde em Rede, Raquel Guieiro, apesar de ser uma implantação complexa e recente, os resultados positivos do projeto já começam a ser sentidos pela população. “Mudar o atual modelo de saúde que a gente opera hoje, que é muito pautado pela oferta, para um modelo que é focado nas necessidades da população, é muito complexo. Confesso que eu acreditava que os efeitos dessa mudança iriam demorar um pouco mais. Me surpreendi, fiquei muito feliz em ouvir relatos de gestores sobre como a população está entendendo melhor os processos de trabalho que estão sendo implantados”, frisou Raquel.

O Subsecretário de Políticas e Ações de Saúde, Marcílio Dias Magalhães, destacou a importância do trabalho que está sendo desenvolvido na região de Diamantina para o sucesso da expansão no demais municípios do Estado. “Estamos em um processo de construção coletiva muito grande, que gerou alguns enfrentamentos e ajustes a partir das informações repassadas pelos gestores e prestadores de serviços. Nesse sentido, esses 6 meses iniciais foram essenciais para o polimento do projeto. O que vem acontecendo na região de Diamantina está nos deixando mais preparados e seguros para podemos avançar com a expansão nos outros 824 municípios do Estado. Acredito que o Saúde em Rede vai proporcionar uma melhorar significativa para a saúde dos mineiros”, ressaltou Marcílio.

Ao final da reunião, a Superintendente Regional de Saúde de Diamantina, Cleya da Silva Santana Cruz, agradeceu a presença de todos e ressaltou a grande responsabilidade que a região tem, por ser a base para a expansão do Saúde em Rede para o restante do Estado. “Devemos continuar discutindo os nossos problemas e mostrar os resultados. Como a expansão começa esse ano, certamente iremos receber a visitas de outras partes do Estado. Então temos que continuar firmes para, de fato, sermos um exemplo de transformação positiva”, finalizou Cleya.

Fonte: SES/MG

<-Voltar