HDT desenvolve ação preventiva a ISTs na Operação Carnaval

Força-tarefa no posto da PRF da BR-153 em Hidrolândia vai distribuir preservativos, lubrificantes e informativos sobre HIV, aids, hepatites, sífilis e dengue

O Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anaur Auad (HDT) promoverá nesta sexta-feira, 21, das 10h às 14h, ação preventiva às Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs), no lançamento da Operação Carnaval, juntamente com a Polícia Rodoviária Federal. A força-tarefa atuará no posto da PRF de Hidrolândia, localizado no quilômetro 525 da BR 153.

Durante a ação, colaboradores do hospital vão distribuir kits com preservativos masculinos e femininos, também lubrificantes e folhetos informativos sobre HIV, aids, sífilis, hepatites virais e dengue, principais doenças atendidas do hospital. Também serão realizadas testagens para diagnóstico de HIV, sífilis e hepatites B e C e acompanhamento da equipe multiprofissional do hospital, que integra a rede da Secretaria de Estado da Saúde de Goiás (SES-GO).

Pelo quinto ano seguido, a parceria entre HDT e PRF tem como intuito alertar sobre os riscos à saúde no carnaval. O consumo em excesso de bebidas alcoólicas durante o feriado e historicamente ligado à falta de proteção em relação à utilização de preservativos acaba deixando os foliões expostos às várias ISTs, inclusive ao vírus HIV.

A diretora técnica da unidade e infectologista, Letícia Aires, destaca que aglomerações de pessoas em ambientes fechados e os comportamentos típicos dessa festa acabam colocando em risco a saúde do folião.Em parceria com a PRF. “As pessoas ficam sujeitas a doenças infectocontagiosas, que podem ir das mais brandas, como herpes, às mais graves, como hepatites e as ISTs, como a HIV e sífilis.”

Para evitar essas enfermidades, a médica alerta sobre a importância de se divertir com moderação, mantendo cuidados básicos como higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel; evitar o contato com pessoas com sintomas gripais; além do uso indispensável do preservativo para prevenir as ISTs. “Caso a pessoa identifique algum sintoma mais grave ou suspeito, deve procurar uma unidade de saúde mais próxima”, ressalta Letícia.

HIV/aids e sífilis
HIV/aids é o carro-chefe de atendimentos no HDT. Entre os pacientes internados na unidade, 50% são soropositivos e cerca de 80% dos atendimentos ambulatoriais são aos portadores do vírus. A unidade atende mais de 10 mil pacientes vivendo com HIV/aids que buscam o medicamento mensalmente na farmácia ambulatorial.

Em 2019, o Núcleo Hospitalar de Vigilância Epidemiológica (NHVE) da unidade contabilizou 324 novos casos confirmados de pessoas com HIV/aids.

Sobre a sífilis, o Sistema de Informação de Agravo de Notificação do HDT registra os casos em adulto nas formas primárias, secundárias e terciárias. Em 2019 foram confirmados 73 casos em adultos e 30 novos casos de sífilis congênita – quando a infecção é passada da mãe para o bebê via hematogênica .

Dengue e hepatites
A dengue é uma doença infecciosa causada por vírus transmitido pelo Aedes aegypti, mosquito que se multiplica em depósitos de água parada. Em 2018, somente o HDT notificou 631 casos, dos quais 548 foram confirmados. Já em 2019, foram registrados 465 ocorrências, com 407 casos da doença confirmados.

Já a hepatite é uma inflamação do fígado que pode ser causada por vírus, uso de remédios, álcool e outras drogas, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. Existem cinco tipos de vírus: A, B, C, D, E. Em 2019, o hospital registrou 119 novos casos de hepatite.

Por: Patrícia Borges (texto)/IGH

<-Voltar