HGE orienta sobre os cuidados para evitar acidentes de trânsito

Usar celular ao pilotar uma moto ou guiar um automóvel, consumir bebidas alcoólicas antes de dirigir, estar desatento ao que acontece nas vias públicas, não utilizar os equipamentos de proteção de forma adequada e ultrapassagem acima da velocidade permitida, o que ocorre, muitas vezes, em faixa contínua.

Práticas nocivas, que ocorrem com frequência durante o período carnavalesco e que ocasionam muitos acidentes e mortes no trânsito, segundo alerta o cirurgião Álvaro Bulhões, que atua no Hospital Geral do Estado (HGE), que atendeu 70 vítimas de acidentes de trânsito no último fim de semana, durante as prévias carnavalescas.

Para evitar que esta realidade se repita durante o próximo fim de semana, quando ocorre o Jaraguá Folia e o desfile do Bloco Pinto da Madrugada, o cirurgião do HGE apela à consciência dos foliões. Isso porque, além do risco de mortes, os acidentes de trânsito levam dezenas de feridos para o maior hospital público do Estado.

Somente no domingo (9), a Área Vermelha Trauma do HGE atendeu 43 acidentados, um quantitativo que impressiona e deixa os profissionais preocupados. No último fim de semana foram atendidas 32 vítimas de acidentes de motocicleta, 30 de colisões, cinco de acidentes de bicicleta, duas de atropelamentos e uma de capotamento.

“Esses números poderiam ser menores, ou até zerar, caso a prevenção, a atenção, a tolerância, a cortesia e o respeito às normas do trânsito fossem fortalecidos por condutores e pedestres. As pessoas precisam se conscientizar e entender que as leis de trânsito devem ser respeitadas e que nunca se deve misturar álcool e direção”, salientou o gerente do HGE, médico Paulo Teixeira.

Uso do celular – De acordo com o tenente Emanuel Costa, do Departamento Estadual de Trânsito de Alagoas (Detran/AL), a maioria dos acidentes automobilísticos são causados por falha humana, como estacionar e ultrapassar em locais proibidos, desrespeitar a faixa de pedestre e trafegar com excesso de velocidade. Ainda de acordo com ele, cerca de 70% dos acidentes tem ligação direta com o uso do celular durante o deslocamento do veículo. Ele reforça, ainda, que as pessoas tenham mais atenção às condições do tempo e ao estado de conservação das vias.

“Temos feito a nossa parte de orientar, alertar, mostrar as consequências graves de um ato imprudente, mas a realidade só pode ser mudada se todos colocarem em prática as recomendações constantemente dadas. As fiscalizações continuam, a operação Lei Seca esteve e continuará nas ruas, na capital e no interior, mas é importante que todos percebam que o problema não está na multa, está na abertura para o risco de fatalidade”, enfatizou o tenente Emanuel Costa.

O que fazer em caso de acidente – A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) recomenda que, em caso de acidente de trânsito, a população deve acionar imediatamente o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), através do telefone 192. Desse modo, uma equipe de socorristas será acionada para realizar o socorro com segurança, onde serão feitos os primeiros procedimentos de emergência, até a chegada ao HGE.

“Jamais se deve mexer na vítima, no máximo proteger do Sol ou de um agente que possa agravar a situação. Quando chegar ao HGE, o paciente será atendido pela equipe multidisciplinar na Área Vermelha Trauma. E se for um caso mais grave, se fazendo necessário intervenção cirúrgica, a equipe médica estará de prontidão, 24 horas, para estabilizar a saúde. Porém, o que desejamos é que ninguém troque a folia para viver tamanha tensão”, afirmou o cirurgião do HGE, Álvaro Bulhões.

Fonte: Ascom SES/AL

<-Voltar