Hospitais transferiam apenas 1% de pacientes para Teresina no carnaval

Foram atendidas 8708 pessoas com apenas 100 remoções, o que representa 1% do total

Pelo segundo ano consecutivo os hospitais regionais estaduais de referência do Piauí registraram baixo número de transferências para Teresina durante o carnaval, em relação à quantidade de atendimentos no período. Foram atendidas 8708 pessoas com apenas 100 remoções, o que representa 1% do total. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira (15) pela Secretaria de Estado da Saúde.

Cidades como Oeiras e Curimatá não transferiam nenhum paciente para a capital durante a folia de momo. As remoções que aconteceram no Hospital Julio Borges de Macedo, em Curimatá, foram direcionadas para o município de Bom Jesus. Em Floriano foram 1867 atendimentos e 9 transferências.

“Isso mostra, de forma inequívoca, que a resolutividade está acontecendo de forma consolidada e que o problema está sendo resolvido na própria região. Se o hospital não pode atender o caso, por ser de média ou alta complexidade, encaminha para a cidade mais próxima que possui recurso para isso. Foi o caso de Curimatá”, destacou o secretário Ernani Maia.

A unidade que mais transferiu paciente foi o Hospital Regional Chagas Rodrigues, em Piripiri. Dos 692 atendimentos entre os dias 08 e 13 de fevereiro, destes 547 só no pronto-socorro, apenas 20 pacientes foram transferidos para a capital.
“Organizamos uma escala com dois médicos plantonistas no pronto-socorro, um para atender as urgências e outro os casos conforme a classificação de risco”, afirmou a diretora do Chagas Rodrigues, Luciana Silva.

Em Parnaíba, cidade que ao lado de Luis Correia forma o maior carnaval do estado, encaminhou para Teresina apenas dois pacientes. “No litoral e em Floriano demos suporte com ambulâncias para ajudar no atendimento, caso fosse preciso, além do SAMU”, disse o diretor de Unidade de Descentralização e Organização Hospitalar, Telmo Mesquita.

O diretor do hospital Gerson Castelo Branco, Arlen de Araújo Veras, de Luzilândia, comemorou o baixo índice de remoção no município. “As intercorrências decorrentes de acidentes e brigas aqui foram somente três, sendo somente uma remoção de extrema urgência decorrente de uma facada. No total, foram 101 atendimentos e 05 remoções”, afirmou, acrescentando que em Luzilândia houve uma redução de aproximadamente 50% nos acidentes de moto com traumatismo craniano. “Isso graças a uma campanha de conscientização do uso de capacetes, realizada por entidades governamentais e comércio”, comentou.

Em Teresina, o Hospital Getúlio Vargas (HGV) recebeu um paciente de Floriano, um de Campo Maior e 13 do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) durante o carnaval.

“Esses números mostram o avanço da saúde do Piauí. O Hospital de São Miguel do Tapuio, por exemplo, transferiu apenas um paciente. Isso é extremamente positivo”, ressalta o superintendente de assistência a Saúde da Sesapi, Pedro Leopoldino.
Ainda de acordo com o superintendente, a maioria das transferências é de pacientes que já estavam internados nas unidades de saúde. “Muitos deles são pacientes crônicos. Consequência mesmo do carnaval, foram poucas as transferências”, finalizou.

<-Voltar