Hospital de Reabilitação ganha tomógrafo e plataforma elevatória

O governo do Paraná entregou oficialmente nesta terça-feira (31) um tomógrafo e uma plataforma elevatória para cadeirantes no Centro Hospitalar de Reabilitação Ana Carolina Xavier, em Curitiba. Foram investidos R$ 884,5 mil nos dois equipamentos, que ampliam o atendimento a pacientes do hospital.

“A entrega desses dois equipamentos faz parte de estruturação deste importante hospital que foi inaugurado em 2008 sem condições de atender plenamente aos pacientes. É inadmissível que um hospital de reabilitação inicie atividades sem acessibilidade e sem tomógrafo”, disse o secretário da Saúde, Michele Caputo Neto.

A direção do hospital tem discutido com a prefeitura de Curitiba um amplo projeto de acessibilidade para garantir a locomoção de pacientes a partir do terminal ou mesmo com acesso direto da canaleta dos ônibus à entrada pela Avenida Paraná. Segundo o diretor, Antonio Paulo Manmann, o piso de petit pavet do calçamento deverá ser revisto e as rampas de acesso serão ampliadas. A plataforma elevatória custou R$ 24,5 mil e foi instalada na entrada da Av. Paraná há 40 dias, evitando que os pacientes tenham que entrar pela entrada principal onde o ângulo da calçada é muito íngreme.

TOMÓGRAFO – O tomógrafo de 16 canais custou aos cofres públicos R$ 860 mil. Técnicos da empresa vencedora do processo licitatório vieram a Curitiba e acompanharam a instalação do aparelho e o treinamento das equipes que utilizarão o equipamento. São médicos radiologistas, técnicos e enfermeiros envolvidos na realização de exames tridimensionais que permitem a visualização aperfeiçoada de tecidos e ossos, facilitando diagnóstico e tratamento.

O equipamento tem capacidade para realização de até 60 exames diariamente, dependendo da complexidade do exame solicitado pelo médico. Além de atender a demanda do hospital, irá atender os 29 municípios da 2ª Regional de Saúde (Metropolitana de Curitiba), facilitando a administração da fila por esse tipo de exame na região.

PRODUÇÃO – O Centro Hospitalar de Reabilitação atua hoje com 20 leitos clínicos, cinco cirúrgicos e 10 leitos de UTI adulto. Em maio, começou a realizar cirurgias, o que não era possível antes porque o centro cirúrgico não possuía ar condicionado e a central de materiais não era adequada para atender aos procedimentos cirúrgicos. Desde o dia 14 de maio deste ano, nove cirurgias foram realizadas no CHR – duas osteomusculares e sete reparadoras da hanseníase.

Com a retomada da oferta de cirurgias da hanseníase, o Paraná se tornou destaque nacional na área por atender a uma demanda reprimida de procedimentos para correção de sequelas causadas pela doença, o que não tem grande oferta em todo país. Além das cirurgias, os pacientes têm no CHR todo o acompanhamento pré e pós-operatório com terapias de reabilitação, que envolvem acompanhamento psicológico e fisioterápico.

No primeiro semestre de 2012, o CHR já realizou 19 mil atendimentos em terapias e 2,5 mil atendimentos médicos. Em 2011, as terapias somaram quase 40 mil atendimentos e as consultas médicas 3,7 mil. Em 2010, com dois anos de inauguração, o hospital não utilizava os leitos de internamento, não realizava cirurgias e executava apenas 10% de sua capacidade de consultas, exames e procedimentos. Os leitos de UTI eram utilizados como leitos gerais, o que encarecia ainda mais os custos da unidade.