Hospital Getúlio Vargas promove o 1º Piauí Hérnia

Teve início nesta quinta-feira (21), o 1º Piauí Hérnia. O evento acontece no Hospital Getúlio Vargas (HGV) com a participação de cirurgiões do Piauí, Ceará e São Paulo. Os médicos vão apresentar o que existe de mais moderno no tratamento da Hérnia Ventral, inguinal e umbilical.
O evento começou com uma aula temática realizada pelo cirurgião cearense Anísio Alexandre e, logo em seguida, oito pacientes que se encontravam em fila de espera no Ambulatório Dirceu Mendes Arcoverde (prédio Azul) foram levados para o centro cirúrgico.

Segundo o diretor do HGV e coordenador do evento, Carlos Iglézias Brandão, o objetivo, nesta fase de modernização do HGV, é trazer as novidades no setor, novas formas de tratamento para colocar à disposição dos cirurgiões "Além de reduzir a demanda reprimida de pacientes em fila de espera", afirma.

Segundo o cirurgião Anísio Alexandre, na atualidade não se admite mais uma cirurgia de hérnia sem o uso de prótese. “A Hérnia é a segunda maior causa de cirurgia no serviço público, só perdendo para cirurgias de vesículas, por isso o HGV está de parabéns em priorizar o treinamento de seus profissionais. Hoje a Hérnia é uma doença endêmica e existe uma demanda reprimida muito grande”, explicou o cirurgião cearense.

Ele alerta para a importância do evento, pois a maioria dos pacientes com o problema está “encostado”, fora do mercado de trabalho devido a defeitos que podem ser corrigidos. Segundo Anísio Alexandre, o Sistema Único de Saúde (SUS) já paga a maioria das próteses utilizadas nesse tipo de cirurgia reparadora.

Na sexta-feira (22), às 7h, no auditório do hospital, o cirurgião paulista Marcelo Furtado vai ministrar a aula de “Anatomia Básica e Device Solution” e logo em seguida aula prática no Centro Cirúrgico do HGV, com a realização de mais cirurgias em pacientes do Ambulatório.