Investimentos em saúde promovem crescimento econômico, diz Tedros Adhanom

Foto: Opas/OMS

22 de março de 2018 – O encontro da Comissão Intergestores Tripartite, sediado mensalmente pelo escritório da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, em Brasília, contou nesta quinta-feira (22) com a presença do diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Na reunião, que junta autoridades de saúde municipais, estaduais e federais, Tedros reiterou a importância da cobertura de saúde universal não só para que as populações tenham acesso ao seu direito básico à saúde, mas também como forma de promover o desenvolvimento dos países. “Investimentos no setor de saúde não são apenas investimentos no setor de saúde. São investimentos para o crescimento econômico e para um futuro mais justo e próspero para todos”, afirmou.

Outro ponto destacado pelo diretor-geral da OMS é a necessidade de garantir uma prestação de serviços de qualidade aos pacientes que buscam cuidados. “Se eles não forem seguros ou forem de baixa qualidade, as pessoas vão parar de usá-los. Isso pode levar a uma enorme carga de doenças que, definitivamente, terão um alto custo de tratamento”.

Desta forma, Tedros afirmou que cinco pilares devem ser levados em consideração para o aprimoramento dos serviços de saúde prestados à população. O primeiro deles é o comprometimento por parte das lideranças. “Em todos os níveis de um sistema de saúde, é vital desenvolver líderes que coloquem a segurança do paciente e a melhoria da qualidade no ápice do atendimento clínico”, enfatizou. Políticas claras também são necessárias para que “todo trabalhador de saúde conheça e compreenda as melhores práticas, com base nas melhores evidências, para manter os pacientes seguros e fornecer os cuidados corretos”.

O terceiro ponto diz respeito à melhoria dos sistemas de saúde orientada por dados. De acordo com o diretor-geral da OMS, sistemas robustos devem acompanhar as práticas exitosas, bem como as que não funcionam, para, desta forma, fazer continuamente os ajustes adequados.

Tedros lembrou que as “políticas e os sistemas são importantes, mas ao fim de tudo, os serviços de saúde são entregues por pessoas”. Por isso, a quarta prioridade é dar aos profissionais de saúde as condições, as habilidades, o treinamento e as ferramentas corretas para que possam realizar plenamente seu trabalho. A quinta questão é envolver os pacientes e suas famílias “como verdadeiros parceiros no cuidado” – empoderando-os a participar ativamente do sistema de saúde.

 

Fonte: Opas/OMS

<-Voltar