Maternidade será certificada como referência estadual

Celton Ramos/Sesau

O Ministério da Saúde (MS) confirmou esta semana que certificará o Hospital Materno-Infantil Nossa Senhora de Nazareth (HMINSN) como referência no Método Canguru no próximo dia 25. A apoiadora Zeni Lamy e outros apoiadores temáticos estarão em Roraima, para entregar a placa de reconhecimento, que valida a capacitação de profissionais de outras unidades de saúde quanto aos cuidados humanizados aos recém-nascidos de baixo peso em todo o estado.

O método tem contribuído na recuperação de crianças prematuras, de baixo peso e, sobretudo, fortalecido a relação afetiva entre bebê e pais quando estão internadas na UTI Neonatal. O HMI registrou aumento de 5,76% de nascimentos, comparando os dois últimos anos. No ano passado, o número de partos realizados no ano passado atingiu a marca de 8.502, contra 8.012 no ano de 2011.

Quanto aos números de recém-nascidos de baixo peso internados na UTI Neonatal e atendidos pelo método canguru em 2012, a unidade registrou 762 bebês internados. O peso do bebê abaixo de 1.500g é classificado como muito baixo. Já, o de baixo peso é entre 1.500 a 2.499g. Quanto ao peso adequado é acima de 2.500g.

O secretário estadual de Saúde, Leocádio Vasconcelos, avalia o título como reconhecimento do esforço da equipe multiprofissional e das tutoras da unidade que realizam oficinas para disseminar conhecimento do protocolo do método entre os cuidadores da unidade, cujo objetivo é humanizar a qualidade no atendimento à população. “É mais um título que a maternidade ganha como reconhecimento do trabalho executado pelos exímios profissionais”, explicou.

Ana Carolina Brito, diretora-geral do HMI, disse que ao tornar-se referência, a maternidade passará a ser um polo capacitador. “Poderemos repassar os conhecimentos adquiridos em outras unidades de saúde do Estado. Resultando assim, a implementação do método nas demais unidades”, informou.

FAMÍLIA CANGURU

O Método Canguru promove a atenção humanizada ao bebê prematuro e de baixo peso, e faz parte de um conjunto de ações em prol da reduçãoda mortalidade infantil. É um tipo de assistência neonatal que implica o contato pele a pele precoce entre a mãe e o recém-nascido, além de estimular o aleitamento materno, favorecendo maior frequência, precocidade e duração da amamentação. Outra vantagem é a diminuição da permanência hospitalar.

O método Canguru está dividido em três etapas: a primeira consiste no acolhimento da gestante e internação na UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) Neonatal; a segunda, no atendimento diferenciado às mães e bebês prematuros em uma enfermaria apropriada. A terceira etapa é quando o bebê atinge 1,8 quilos, recebe alta hospitalar. A partir daí, o atendimento passa a ser feito no ambulatório até que a criança atinja 2,5 quilos.

ASCOM SESAU
(95) 2121-0507
www.saude.rr.gov.br

Foto: Internet

<-Voltar