Ministério da Saúde custeará unidades fluviais

Em iniciativa inédita, publicada em portaria nesta terça-feira (24), no Diário Oficial da União (DOU), o Ministério da Saúde estabelece critérios para que estados e municípios da Amazônia Legal e do Pantanal Sul Matogrossense, que possuam Unidades Básicas de Saúde Fluviais (UBSF), requisitem custeio do órgão. Com a garantia de pagamento mensal às embarcações, as populações ribeirinhas ganham mais qualidade de vida e a certeza de mais saúde nas suas regiões.As embarcações terão até R$ 600 mil anuais para manutenção dos serviços.

“A população das regiões amazônicas necessitam deste tipo de serviço. Muitas vezes para chegar a um hospital convencional, o paciente passa dias viajando, seja em barco, carro ou de bicicleta. Com essas Unidades Básicas de Saúde Fluvial as comunidades ganham em agilidade e qualidade de vida”, destaca o ministro da Saúde, Alexandre Padilha.

As embarcações contam com Equipes de Saúde da Família Fluviais formadas, no mínimo, por médico, enfermeiro, técnico ou auxiliar de enfermagem e de laboratório, além dos Agentes Comunitários de Saúde (ACS). As embarcações também podem contar com dentista e auxiliar, ou ainda, de técnico de Saúde Bucal. Cada unidade será custeada no valor de R$ 50 mil mensais (para equipes com Saúde Bucal) e R$ 40 mil para equipes sem Saúde Bucal.

As unidades fluviais possuem consultório médico, odontológico e de enfermagem, além de ambiente para armazenamento e oferta de medicamentos, laboratório, sala de vacina, banheiros, sala para outros procedimentos ambulatoriais, cozinha e cabines com leitos em quantidade suficiente para abrigar a tripulação.

Construção – O Ministério da Saúde trabalha com uma política diferenciada para ampliar e qualificar o acesso das populações ribeirinhas aos serviços de saúde. Além do custeio inédito às unidades fluviais, o ministério aprovou, no ano passado, a liberação de verba para construção de 13 unidades no país. Outras 19 devem ser aprovadas ainda este ano.

Até 2014, serão 64 embarcações serão aprovadas. E para o funcionamento dos hospitais barcos o Ministério da Saúde investirá R$ 76,8 milhões.

Confira a portaria.

Fonte: Tinna Oliveira e Zeca Moreira / Agência Saúde

Foto: Erasmo Salomão / Ascom-MS

<-Voltar