Ministério da Saúde libera R$ 1,7 milhão para serviço de radioterapia de AL

O secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, inaugura nesta quinta-feira (24), no município de Arapiraca (AL), a Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), com serviço de radioterapia, no Hospital CHAMA – Centro Hospitalar Manoel André. A unidade irá desafogar os hospitais de Maceió e facilitará o acesso da população, principalmente do sertão alagoano à assistência especializada para tratamento do câncer, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). O Ministério da Saúde, por meio de portarias, já habilitou a unidade e garantiu repasse anual de R$ 1,7 milhão para o funcionamento do serviço.

Agora, os moradores de Arapiraca e municípios vizinhos não vão precisar mais percorrer longas distâncias até a capital, para garantir o tratamento de radioterapia. “Haverá o ganho de tempo a partir do diagnóstico precoce e o início do tratamento, possibilitando melhores taxas de cura, além de proporcionar conforto, qualidade de vida e economia ao paciente”, ressalta o secretário Helvécio. De acordo com a administração do Hospital CHAMA, desde que saiu a habilitação do serviço, em dezembro passado, 35 pacientes iniciaram a radioterapia e já há lista de espera. Atualmente, 80% dos atendimentos do hospital são do SUS.

Na área de Oncologia, o SUS é estruturando para atender de forma integral e integrada os pacientes que necessitam de tratamento. Atualmente, a Rede de Atenção Oncológica está formada por hospitais habilitados como Unacon e Centro de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon). Estes estabelecimentos devem oferecer assistência geral, especializada e integral ao paciente com câncer, atuando no diagnóstico e tratamento. A assistência especializada abrange sete modalidades integradas: diagnóstico, cirurgia oncológica, radioterapia, quimioterapia (oncologia clínica, hematologia e oncologia pediátrica), medidas de suporte reabilitação e cuidados paliativos.

O Unacon de Arapiraca irá funcionar em um prédio anexo do Centro Hospitalar Manoel André. Na unidade serão disponibilizados serviços de cirurgia oncológica, radioterapia e quimioterapia, além de consultas de triagem diagnóstica.

O serviço de radioterapia conta com equipamento de alta tecnologia em planejamento e tratamento já habilitada para realização de Radioterapia Modulada (IMRT), Radioterapia Guiada por Imagem (IGRT) e Radiocirurgia. Tem capacidade para atender 80 pacientes/dia, divididos em três turnos diários (das 7 às 22 horas). Todos os pacientes são acompanhados por equipe multiprofissional formada por radioncologistas, físicos médicos, enfermeiras, técnicos em radioterapia e psicóloga.

O Serviço de Oncologia Clínica dispõe de seis consultórios para atendimento por mais profissionais, como cirurgião oncológico, oncologista clínico, psicólogo, nutricionista, enfermeiros e fisioterapeutas. A estrutura do serviço conta ainda com salão de quimioterapia com capacidade de realização de 90 tratamentos ao dia, duas salas de atendimento de emergência. Os tratamentos são realizados sob supervisão de médico oncologista clínico, que está à disposição 24hs por dia.

O Hospital CHAMA conta com 159 leitos SUS para internação oncológica, sendo 30 leitos para oncologia, além de estrutura para realizar exames complementares, como raio x, tomografia computadorizada, ressonância magnética, medicina nuclear, laboratório, Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e diversas especialidades médicas. O hospital possui ainda habilitação em Unidade de Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Nefrologia, Neurologia e Neurocirurgia, e Trauma Ortopedia.

Assistência – O Estado de Alagoas conta com três Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia e dois Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia, sendo um com serviço de oncologia pediátrica.

Entre janeiro e outubro de 2012, Alagoas registrou 61.061 exames de mamografia, sendo 27.356 na faixa prioritária (50 a 69 anos), e 129.279 exames citopalógicos (papaniclau), sendo 100.815 feitos por mulheres entre 25 e 64 anos. O volume de quimioterapias realizado em 2012 foi de 17.400.

Já em 2011 foi de 22.231, 8% a mais quem em 2010 (20.566). Na radioterapia, nos dez primeiros meses do ano passado, a produção do estado registrou 44.529 procedimentos. Em 2011, esse número chegou a 16% (99.434) a mais quem em 2010 (85.537 procedimentos).

Fonte: Regina Xeyla /Agência Saúde

<-Voltar