Ministério lança Campanha de Combate à Dengue

O objetivo é reforçar alerta sobre a importância da prevenção. Até o final do mês, foco será na adoção de hábitos diários para conter a proliferação do mosquito transmissor

O Ministério da Saúde lançou nesta segunda-feira (5) a Campanha Nacional de Combate à Dengue 2011/2012. Com o slogan “Sempre é hora de Combater a Dengue”, o objetivo da campanha é reforçar sensibilização da população sobre a importância da prevenção contra o mosquito Aedes aegypti, mantendo hábitos simples como limpar calhas, caixas d’água e recolher o lixo.

Com formato educacional e informativo, a campanha será dirigida aos professores, agentes de saúde, gestores municipais, educadores, profissionais de saúde, crianças e a população em geral. As ações de comunicação do Ministério da Saúde são desenvolvidas com base em dois cenários: período não epidêmico e período epidêmico.

Até o fim de dezembro, durante o período não epidêmico, o foco é o incentivo para adoção de hábitos diários de prevenção, como manter garrafas vazias viradas para baixo, trocar a água das plantas aquáticas regularmente, entre outras ações capazes de reduzir os criadouros.

Para o período epidêmico, que vai de janeiro a maio, além de manter as medidas de prevenção para evitar a proliferação do mosquito transmissor, o foco da campanha enfatizará também a importância do reconhecimento dos sinais e sintomas da doença pela população. A campanha enfatiza a necessidade de acompanhamento por um profissional de saúde dos casos suspeitos de dengue e alertar sobre os riscos da auto medicação pela população.

O ministro Alexandre Padilha reforçou que as ações de combate a dengue devem se antecipar e atuar diretamente no controle dos criadouros do mosquito. “As ações de controle e combate à dengue devem se antecipar aos problemas. Isso se resume ao controle do foco do mosquito da dengue. Esse é o tema principal da campanha deste ano. Com a campanha, pretendemos alertar a população sobre a importância de manter hábitos simples de combate à doença”, explica.

A campanha nacional começa a ser veiculada ainda neste ano. Ao todo serão dois filmes de TV e três spots informativos sobre o seu lançamento nacional. As peças publicitárias incluem outdoors, folders, cartazes para transporte público, paradas de ônibus e outros.

“O slogan da campanha é uma maneira de alertar a população a adotar comportamentos cotidianos, como limpar os quintais, colocar areia nos vasos de plantas, fechar o lixo com saco plástico, entre outros. Essas ações fazem a diferença e devem ser repetidas durante todo o ano, não somente no verão”, reforça o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.

Mobilizadores – A campanha tem um papel fundamental em incentivar a co-responsabilidade da sociedade no controle da doença. Os profissionais de saúde serão orientados sobre a importância de utilizar a classificação de risco para triagem dos pacientes. A medida tem o objetivo de identificar sinais e sintomas de gravidade da doença, possibilitando, dessa maneira, o tratamento precoce e adequado. Já os agentes de saúde serão informados sobre a importância das visitas domiciliares para orientar e alertar a população sobre como eliminar os criadouros do mosquito.

Educadores e crianças – A criança interfere nos hábitos e atitudes da casa, chamando a atenção dos responsáveis para eliminação dos focos do mosquito. O papel do educador está em trabalhar este tema na sala de aula.

Redes Sociais – Além da campanha, o Ministério da Saúde também está apresentando o Observatório da Dengue pelas redes sociais, ferramenta que permitirá o monitoramento de casos suspeitos de doença em todo o país. A metodologia está sendo desenvolvida pelo    Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INWEB), da Universidade Federal de Minas Gerais. O sistema faz o recolhimento de mensagens publicadas na rede social Twitter sobre dengue. As mensagens são filtradas e, aquelas relacionadas às queixas pessoais de suspeita de dengue, são monitoradas e avaliadas.

“Estamos utilizando mais uma ferramenta para vigilância da dengue no país. Agora temos o Observatório da Imprensa que antecede a notificação dos casos de dengue nos municípios. Por meio da rede social o ministério poderá verificar a notificação de casos de dengue feita pelos municípios, comparando os dados enviados pelas regiões com as mensagens de experiências pessoas com dengue feitas pelo twitter”, explica o ministro Alexandre Padilha.

As informações selecionadas serão enviadas à Secretaria de Vigilância em Saúde. A metodologia permite a comparação dos números de tweets captados na semana com o histórico de ocorrência dos períodos de epidemia e de baixa transmissão em cada município.  Todo esse processo é feito em tempo real. Será gerado um relatório que irá mapear a suspeita dos casos de dengue nos municípios com mais de 100 mil habitantes. Com a nova tecnologia, o Ministério da Saúde terá a possibilidade de obter oportunamente informações sobre a ocorrência de possíveis surtos e assim alertar os estados e municípios.

“O observatório da dengue é uma nova metodologia que vem complementar o sistema de monitoramento da dengue no Brasil. Esse método vem sendo utilizado no mundo todo. Mas esta tecnologia não servirá para substituir o sistema de vigilância tradicional, mas ele é complementar”, disse Jarbas Barbosa.

Por Thaís Assunção, da Agência Saúde – Ascom/MS

<-Voltar