Movimento Saúde +10 coletou assinaturas em Curitiba

SES/PR

Neste fim de semana o movimento Paraná Saúde +10 coletou assinaturas no calçadão da Rua XV de Novembro, no centro de Curitiba. O movimento nacional precisa de 1,5 milhão de assinaturas para constituir uma emenda de iniciativa popular que resultará em um projeto de lei que obriga a União a aplicar pelo menos 10% de suas receitas brutas em saúde.

Hoje, Estados e Municípios já tem percentuais fixos para investimento, 12% e 15%, respectivamente. Segundo o superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz, com a efetivação do projeto os investimentos do governo federal na área da Saúde aumentariam em no mínimo R$ 30 bilhões.

“Estados e municípios estão sobrecarregados de atribuições e ainda tem que investir muito mais do que o previsto em lei para manter a área da Saúde. Mesmo assim, a área necessita de mais investimentos e esses recursos devem vir da União”, explicou o superintendente, que representou a Secretaria da Saúde no ato do fim de semana.

Até agora o Paraná já coletou 80 mil assinaturas, atingindo a meta definida para o Estado, contudo a mobilização continua. As listas estão sendo encaminhas à Brasília (DF), onde haverá um ato oficial para contagem das assinaturas de todo o país nesta quarta-feira (10/04). Estima-se que 1 milhão de assinaturas já tenham sido contabilizadas para a causa.

Para os aposentados, Jorge Nogueira e Maria Bernadete Nogueira, que passavam pelo calçadão e aderiram a causa, com mais investimentos a saúde pública brasileira tende a melhorar. “É preciso valorizar a rede pública com mais investimentos. A população tem que se sentir segura ao procurar o SUS e saber que será bem atendida”, disse Maria.

Em Curitiba, quem ainda não aderiu ao movimento pode assinar o documento na sede da Secretaria de Estado da Saúde, na Rua Piquiri, 170, no bairro Rebouças. O documento também está disponível na 2ª Regional de Saúde Metropolitana, na Rua Barão do Rio Branco esquina com a André de Barros, no centro.

Além da Secretaria estadual da Saúde, as atividades deste final de semana também tiveram a participação dos Conselhos Regionais de Medicina, de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, da Assembleia Legislativa do Paraná, Federação Nacional dos Médicos, Sindicato dos Médicos do Paraná, Central Única dos Trabalhadores e outras entidades ligadas à área da Saúde

<-Voltar