Na CIT, gestores enaltecem a capacidade de resposta do SUS à pandemia

Conass, Conasems e Ministério da Saúde reunidos na CIT / Foto: Erasmo Salomão

A força do Sistema Único de Saúde (SUS) no combate à pandemia da Covid-19 foi enaltecida nesta quinta-feira (24), pelos gestores de saúde durante a 7ª reunião da Comissão Intergestores Tripartite, realizada em Brasília. “Estamos dando a melhor resposta que poderíamos e para isso estamos usando essa grande ferramenta que é o SUS”, disse o ministro da Saúde, Eduardo Pazzuelo, reforçando que a pandemia será vencida e irá reforçar a convicção de que o SUS é a melhor ferramenta disponível e precisa ser cuidada e aprimorada.

Arnaldo Correia de Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde apresentou dados da situação epidemiológica da Covid-19, que apontam para a soma de quatro milhões de brasileiros recuperados e também para o aumento da testagem no Brasil o que aumenta a chance de identificar novos casos. “Esses dados refletem a força do nosso sistema de saúde também dos profissionais que estão na linha de frente”, ressaltou.

Para o secretário executivo do Conass, Jurandi Frutuoso, é importante observar o aprendizado que a pandemia tem proporcionado aos gestores. “Analisando os dados e gráficos que foram apresentados percebemos o quanto estamos aprendendo a lidar com a situação e este é um dos legados que a Covid-19 nos trouxe”, argumentou Frutuoso.

Ele também chamou a atenção para a necessidade de se fazer uma reflexão sobre a manutenção de parte da estrutura que foi criada, como por exemplo os leitos de UTI. “Este foi um grande avanço do SUS e precisamos ter cuidado nessa retomada, inclusive para a possibilidade de uma segunda onda da doença. “Temos de dar continuidade ao cuidado precoce, à definição de tratamento adequado quando necessário e, temos de usar toda a estrutura que o SUS está montando, principalmente no fortalecimento da Vigilância Epidemiológica”.

Willames Freire, presidente do Conasems, destacou que os números apresentados pelo secretário de Vigilância em Saúde, por si só demonstram que o SUS tem feio o seu papel e mostrado a sua capacidade de resposta.

Vacinação Covid-19

Carlos Lula, presidente do Conass, manifesta apoio à estratégia de vacinação contra a Covid-19

A estratégia de vacinação da Covid-19 também foi pauta da reunião. A coordenadora Geral do Programa Nacional de Imunizações, Francieli Fontana, explicou que além de contribuir para a redução de morbidade, mortalidade e transmissão pela doença, a vacinação tem como objetivo, além da proteger os grupos prioritários com maior risco de desenvolver complicações e óbitos e as populações com maior risco de exposição ao vírus, vacinar os profissionais de saúde em todos os níveis de atenção, protegendo assim a integridade do sistema de saúde e a infraestrutura para a continuidade dos serviços essenciais.

Segundo ela, a ampliação da vacinação a outros grupos será feita de acordo com o aumento da disponibilidade de vacina. Francieli observou ainda que a estratégia de vacinação necessitará de atualização das recomendações de acordo com as evidências científicas e avanços de conhecimento a respeito da vacina.

Eduardo Pazuello ressaltou que o ministério está atuando incisivamente para conseguir a vacina. “Estamos lidando com várias opções e já temos um primeiro contato assinado entre a Focruz e AstraZeneca, já com previsão de entrega a partir de janeiro de 2021, mas continuamos acompanhando todos os outros processos e estamos atentos para não perdemos outras oportunidades”.

O presidente do Conass, Carlos Lula, parabenizou a estratégia apresentada pelo Ministério da Saúde, mas chamou a atenção para a queda da cobertura vacinal no país como um todo. “A vacinação contra a Covid-19 é uma oportunidade para discutirmos uma estratégia para o enfrentamento dessa queda e para a discussão de uma estratégia de vacinação como um todo”, observou. Em seguida manifestou o apoio dos estados na articulação da vacinação proposta pelo ministério.

Pactuações

Na reunião foi pactuada a responsabilidade de financiamento de quatro medicamentos incorporados ao SUS. “Desses quatro medicamentos incorporados que foram pactuados, dois foram alocados no grupo 2 do Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (Ceaf), sob responsabilidade de aquisição e financiamento pelas secretarias estaduais de saúde. Já os outros dois foram pactuados para serem alocados no grupo 1B do Ceaf sob responsabilidade de financiamento do Ministério, sendo a compra de responsabilidade do Estado que é ressarcido pelo MS de acordo com o número de medicamentos entregue para os pacientes.”, explicou o assessor técnico do Conass, Heber Bernarde.

Campanha Nacional de Doação de Órgãos

 Por ocasião do dia 27 de setembro, Dia Nacional da Doação de Órgãos, o Ministério da Saúde lançou a Campanha Doe órgãos. A vida precisa continuar. O objetivo é sensibilizar a população quanto à importância da doação de órgãos.

Daniela Ferreira, coordenadora geral do Sistema Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde destacou que o SUS é o maior sistema público de transplantes no mundo e enaltece a força do SUS e do povo brasileiro que não abandonou a esperança e a solidariedade mesmo diante da pandemia.

A campanha conta com apoio de diversos veículos de comunicação, com cessão de espaços publicitários gratuitos. A veiculação terá início dia 24 de setembro e segue até 23 de outubro, conta com filme, spot de rádio, peças de mídia exterior, peças de internet e redes sociais. Saiba mais.

Ascom Conass

ascom@conass.org.br

(61) 3222-3000

<-Voltar