Novo Ministro da Saúde defende gestão com diálogo entre os entes federativos

Conasems: O novo ministro da Saúde, Marcelo Castro, defendeu em discurso durante evento de transmissão do cargo nesta terça-feira (6), uma gestão participativa, com diálogo entre os entes federativos, além de uma nova fonte permanente de financiamento da Saúde.

 

De acordo com Castro, é importante dar voz aos estados e municípios. “Penso que o SUS é fruto do comprometimento de cada conselheiro, gestor estadual e municipal, por isso, convido o CNS, Conass e Conasems para um trabalho em conjunto”, convocou.

 

Ele ressaltou que os estados e municípios estão gastando em Saúde bem mais que 15%, o mínimo exigido por lei, e mesmo assim os recursos não são suficientes. “Cito como exemplo o meu município em Teresina, que está aplicando 35% das suas receitas na saúde. O que é absolutamente insustentável e injusto com os municípios que arcam sozinhos com a essa responsabilidade”, destacou.

 

Castro enfatizou que pretende “garantir à saúde nos municípios e estados a metade do que a União arrecadar com a CPMF”, segundo ele, esse é um caminho difícil diante da crise, porém “os recursos para a saúde deveriam ser dobrados”, acrescentou.

 

Em relação aos serviços públicos e privados na saúde, Castro destacou que o público deve exercer o papel de controlar e fiscalizar. “Cabe ao privado complementar o público e não deve haver uma inversão de papeis”, disse. Ele ainda destacou a importância da gestão participativa “Democracia participativa é envolver gestores, equipe técnica, e profissionais da saúde, além de prezar pela transparência no trabalho”, pontuou.

Segundo o ex-deputado, o SUS é a maior política pública de inclusão social do país. “Sei que 150 milhões de pessoas dependem do SUS. Vim para me unir em favor de uma causa concreta que é o direto à saúde e vou continuar o trabalho daqueles que não mediaram esforços para manter e consolidar esse Sistema”, garantiu.


Marcelo Castro

Nascido em São Raimundo Nonato (PI), Castro é formado em Medicina pela Universidade Federal do Piauí e Doutor em Psiquiatria pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Iniciou sua carreira política em 1982, quando foi eleito deputado estadual. O novo ministro obteve mais dois mandatos, em 1986 e 1990.

Já como deputado federal eleito em 1998, Castro se tronou secretário de Agricultura, reelegendo-se para câmara federal em 2002, 2006, 2010 e 2014. É o atual presidente da executiva estadual do PMDB.

 

Fotos e Matéria: Conasems

<-Voltar