O cuidado com as condições crônicas de saúde

Evento promove a capacitação de profissionais para a organização do SUS no manejo das condições crônicas na Atenção Primária à Saúde

Curitiba/PR – Aproximadamente 60 pessoas participam do II Seminário Modelo de Cuidado das Condições Crônicas na Atenção Primária à Saúde, que tem o objetivo de capacitar profissionais que atuam na gestão e na atenção à saúde em relação a organização do sistema para o seu desempenho frente às condições crônicas de saúde.

Promovido pelo CONASS, pela Opas/OMS e pela SES/PR, o evento faz parte do projeto Laboratório de Inovação na Atenção às Condições Crônicas na APS, que visa à produção de evidências e de conhecimento a respeito da atenção às condições crônicas e prevê o acompanhamento das experiências de implantação do modelo a fim de acumular informações que possam dar suporte à tomada de decisão dos gestores

Eugênio Vilaça Mendes, autor do livro O Cuidado das condições crônicas na Atenção Primária à Saúde: o imperativo da consolidação da Estratégia da Saúde da Família, detalhou o modelo proposto e seus principais elementos e apresentou dados que evidenciam a pertinência da sua utilização no Brasil e no exterior. “Um dos aspectos que diferencia este modelo é a sua capacidade de resposta social tendo em vista que, para dar conta das condições crônicas, o sistema deve passar de reativo e episódico para proativo e contínuo. E essa proatividade e continuidade devem ocorrer não só na atuação das equipes de saúde, mas na conduta dos próprios usuários do sistema”, explica

A médica Ana Maria Cavalcante, da SMS de Curitiba, onde desde 2010 está sendo implementado o projeto piloto do laboratório, apresentou a estruturação do modelo no município e também destacou a mudança comportamental que ele incita a partir das práticas autocuidado apoiado e cuidado compartilhado. “Por conta do modelo vigente, baseado na atenção à condição aguda, predominava uma conduta mais prescritiva, que não funciona para a condição crônica. O modelo implementado nos oferece metodologias mais efetivas para que as equipes de saúde estimulem novos comportamentos e para que os usuários do sistema, de fato, os sustentem”, relata

A fim de ilustrar ações bem sucedidas de atenção às condições crônicas de saúde, foram apresentadas ainda experiências realizadas na SMS de Belo Horizonte –Programa Academias da Cidade, e na SMS de Curitiba – A experiência das Oficinas de Reeducação Alimentar na APS.

Com a realização do seminário, os participantes se qualificam para a realização de oficinas de trabalho e capacitação dos demais profissionais no estado e em seus municípios. O grupo de facilitadores do CONASS é formado por profissionais com experiência em outros projetos em curso que também privilegiam a Atenção Primária à Saúde, como as Redes de Atenção à Saúde e a Planificação da APS. Além dos técnicos das secretarias de saúde do Paraná e de Curitiba, também participam do seminário, como convidados, técnicos da SES/MG e do Ministério da Saúde.

O evento segue amanhã com a apresentação do modelo e discussão acerca da sua implementação e termina na quarta-feira (22), com a visita dos participantes à Unidade Alvorada, da Estratégia de Saúde da Família em Curitiba, onde os participantes irão conhecer a estrutura da unidade, o processo de implantação do modelo de atenção às condições crônicas e suas implicações na atuação e no comportamento das equipes.

Por: Adriane Cruz – Ascom/CONASS

<-Voltar