Operação Curumim: Mais de 14 mil indígenas serão vacinados

Os Ministérios da Saúde e da Defesa vão estar na região amazônica nesta segunda-feira (05), com equipes compostas por médicos, enfermeiros e dentistas para atender mais de 14 mil indígenas que moram em aldeias de difícil acesso e onde há concentração de casos de mortalidade infantil e materna. A ação, batizada de Operação Curumim, vai começar no município de São Gabriel da Cachoeira, localizado no extremo noroeste do estado do Amazonas.

A diretora do Departamento de Atenção à Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Mariana Maleronka, explica como será a rotina dos profissionais de saúde na Amazônia.”As equipes vão permanecer em área durante um mês, tirando Alto Solimões, que é um lugar muito distante mas com uma população menor. Ali, vão entrar em área em conjunto o Ministério da Saúde, com as suas equipes, e o Ministério da Defesa, que vai fazer o transporte, toda a logística, vai dar suporte para as equipes dormirem, comerem, conseguirem permanecer em área durante um período menor que é de 10 dias.”

Os principais problemas que devem ser combatidos pelo Ministério da Saúde durante a Operação Curumim são diarréia e complicações respiratórias encontradas em adultos. Além disso, a diretora do Departamento de Atenção à Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Mariana Maleronka, explicou também que os indígenas ainda poderão realizar exames de rotina.”É importante ressaltar que durante as atividades, vão ser feitas atividades de rotina, como pre natal, avaliação nutricional, atividades que, na verdade, detectam riscos para que a gente possa programar melhor as ações continuas das equipes.”

Durante a última Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20, o Ministério da Saude esteve no Acre para atender a população indígena do Estado. Ao todo, foram realizados 2.379 atendimentos médicos, 1.050 odontológicos e 2.201 de enfermagem.

Ouça a matéria da Web Rádio Saúde

<-Voltar