Pacientes renais vão receber medicamentos diretamente nas clínicas

O secretário de Estado da Saúde de Goiás Antonio Faleiros, assinou na manhã desta quinta-feira, 14/02,  projeto que permitirá aos pacientes renais crônicos de Goiânia e Região Metropolitana que recebam diretamente nas clínica em que realizam hemodiálise, os medicamentos de alto custo. Mais de 3.100 pessoas serão atendidas em 15 clínicas conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS). A parceria faz parte de projeto idealizado pela Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa (CMAC) – o Medclínica.

Um lote com 230 medicamentos que podem custar até R$ 1.000 serão entregues já na próxima segunda-feira, 18/02, a pacientes tratados no Hospital das Clínicas (HC) e na Renal Clínica. “Nosso objetivo é humanizar o atendimento e facilitar a rotina de pacientes renais que vão receber o remédio que precisam, diretamente, nas unidades de saúde em que fazem tratamento”, comemora Antonio Faleiros, no ato da assinatura. O serviço atenderá já de início 400 pacientes.

Para receber o benefício o representante legal ou o portador de insuficiência renal crônica (IRC) deverá cadastrar-se na Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa (CMAC). “Por meio desse processo a nossa equipe levará o medicamento direto na clínica sem a família ter de se deslocar à CMAC toda vez que o doente necessitar dos remédios”, explica Jacireni de Mello Alves, diretora da Central de Medicamentos de Alto Custo Juarez Barbosa (CMAC).

Comodidade – “Para nós é um alívio. Em especial para a população mais carente que sempre tem dificuldade para se deslocar e até mesmo armazenar o remédio. Muitos desses medicamentos tem de ser transportados em gelo”, diz Rossana Catão, médica,  filha do paciente renal, Israel Catão. A CMAC já possui um carro oferecido pela SES-GO para que o remédio seja entregue onde cada paciente cadastrado faz a hemodiálise. A cada três meses, a mesma equipe, coletará documentação e exames necessários para a renovação do processo.

O diretor técnico do Juarez Barbosa, Roney Pereira, explica que, desta forma, os pacientes não precisarão mais ir até à CMAC. Ele adianta que o trabalho será estruturado gradativamente e a expectativa é que, até agosto deste ano, as 15 clínicas distribuídas em Goiânia e Região Metropolitana estejam executando o serviço, com expansão para outras unidades de atendimento no interior do Estado.

Segundo o diretor da CMAC, o indivíduo portador de IRC, sofre várias mudanças em seu cotidiano. “Muitas vezes ele abandona o emprego, deixa de ser responsável pelo sustento da família e também reduz suas atividades. A dependência dos familiares, do serviço médico e as limitações físicas podem restringir seu convívio social, o que prejudica a afetividade e gera insegurança quanto aos seus objetivos de vida. Receber o medicamento, com qualidade, na clínica onde faz a hemodiálise, significa livrá-los de filas de espera, possibilitando maior comodidade e adesão ao tratamento”, conclui o diretor.

<-Voltar