Paraíba planeja ações da Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza

Joelma Medeiros – SES/PB

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, está se preparando para participar de mais uma Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, que acontece entre os dias 15 e 26 de abril. A ação tem como tema: “Quem lembra da vacina se protege da gripe”. Esta é a 15ª Edição da campanha.  Na Paraíba, a Coordenação de Imunização já promoveu reuniões com os todos os gerentes regionais de Saúde e os profissionais do setor de imunização e repassou as informações sobre a operacionalização da campanha, a exemplo das metas e estratégias para que o índice vacinal seja alcançado.

De acordo com a gerente operacional de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Estado da Saúde, Bernadete Moreira de Moura, a meta é imunizar 763.841 pessoas na Paraíba.  Para a campanha serão disponibilizadas mais de 836 mil doses da vacina. Em todo o Brasil, a meta é vacinar, pelo menos, 85% dos grupos prioritários, o que representa aproximadamente 39,2 milhões de pessoas.

A ação envolve as três esferas gestoras do Sistema Único de Saúde (SUS), contando com recursos da União, das Secretarias Estaduais de Saúde (SES) e Secretarias Municipais de Saúde (SMS).  A campanha tem como foco principal reduzir a mortalidade, as complicações e as internações decorrentes das infecções pelo vírus da influenza, na população alvo para a vacinação.

Dados – A Organização Mundial de Saúde (OMS) estima que há no mundo cerca de 1,2 bilhão de pessoas com risco elevado de complicações por gripe. Desse total, 385 milhões são idosos com mais de 65 anos de idade, 140 milhões de crianças, e 700 milhões de crianças e adultos com doença crônica. Além disso, há a necessidade de proteger os profissionais que atuam na assistência aos doentes visando a preservação desta força de trabalho e secundariamente evitar a propagação da doença para a população de alto risco.

As campanhas de vacinação contra a influenza são realizadas no país desde 1999. O primeiro ano contemplou somente a população de idosos a partir de 65 anos de idade, estendendo-se, já no ano seguinte (2000), para idosos a partir de 60 anos de idade. Considerando os registros disponíveis desde o ano de 1999 ate 2012, o número de doses aplicadas a cada ano nas campanhas foi crescente, compatível com o aumento dessa população.

<-Voltar