Participe da pesquisa “Desafios da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no SUS”

Por iniciativa da Rede de Pesquisa em Atenção Primária à Saúde da Abrasco, com apoio da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) no Brasil, está em desenvolvimento a pesquisa “Desafios da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no SUS”. A pesquisa tem por objetivo identificar os principais problemas e as estratégias de reorganização da Atenção Primária à Saúde (APS) utilizadas no enfrentamento da Covid-19 nos municípios brasileiros por meio de inquérito on line com profissionais de saúde e gestores e gerentes da principal porta de acesso ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Os resultados serão amplamente divulgados e contribuirão para a formulação de recomendações para a APS com base nas experiências e nas dificuldades encontradas. A pesquisa é coordenada por Aylene Bousquat (USP), Ligia Giovanella (Fiocruz), Luiz Augusto Facchini (UFPEL), Maria Guadalupe Medina (UFBA) e Maria Helena Magalhães de Mendonça (Fiocruz).

Convidamos todos os profissionais de saúde que atuam em serviços de Atenção Básica/ Atenção Primária à Saúde (AB/APS) e gestores municipais, distritais e coordenadores de AB a participar da pesquisa “Desafios da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no SUS”. Sua participação é muito importante! Você levará de 15 a 20 minutos para responder ao questionário.

Acesse o link https://apscovidsus.pro.br/

Resumo da pesquisa

Desafios na organização da Atenção Básica no enfrentamento da pandemia da Covid-19 no SUS

Coordenação: Aylene Bousquat (USP), Lígia Giovanella (Fiocruz), Maria Guadalupe Medina (UFBA), Maria Helena Magalhães de Mendonça (Fiocruz), Luiz Augusto Facchinni (UFPEL)

Iniciativa: Rede de Pesquisa em APS da ABRASCO

Apoio: OPAS

Resumo

A pandemia da Covid-19 é um desafio sem precedentes para a ciência, para os sistemas de saúde e para a sociedade, cobrando respostas rápidas e diversas. Dentro dos inúmeros desafios dos sistemas de saúde é crucial que se discuta o papel da Atenção Primária à Saúde (APS) neste enfrentamento. A preocupação sobre a resposta do sistema de saúde tem estado centrada nos serviços hospitalares, com debates sobre a contabilidade de leitos hospitalares e de UTIs, entre outros. Sem retirar a importância da adequada estruturação da atenção especializada voltada aos casos mais graves de Covid-19, é preciso alertar que, no âmbito dos cuidados primários de saúde, muito pode e precisa ser feito. A reorganização dos serviços de APS também é imperativa, uma vez que a maioria dos casos são assintomáticos ou apresentam formas leves da doença, com indicação de isolamento domiciliar, ou seja, deverão ser monitorados pela APS e encaminhado a outros níveis do sistema, se for necessário. Ademais, em inúmeros municípios brasileiros o único serviço de saúde disponível são as UBS, o que reforça esta preocupação.

Objetivo do estudo: identificar os principais constrangimentos e as estratégias de reorganização da APS utilizadas pelas Equipes de APS/AB no enfrentamento da Covid-19 nos municípios brasileiros, para orientar a formulação de recomendações de iniciativas mais adequadas a diferentes contextos com base nas experiências e nas dificuldades enfrentadas.

Metodologia: o cenário da pandemia cobra que os tempos usualmente alargados da pesquisa científica sejam ajustados e compatibilizados com as necessidades prementes da população e do SUS. Desta forma pretende-se realizar survey on line com uma amostra de conveniência de profissionais de saúde atuantes na atenção básica (UBS e NASF) e com gestores e gerentes do SUS. O desenho do survey on line permitirá uma análise rápida das respostas. O acesso aos trabalhadores e gestores da APS se dará por meio de propagação tipo “bola de neve” utilizando-se os contatos e sites das instituições envolvidas, com destaque para a Rede APS da ABRASCO. Serão colhidas informações sobre: estrutura física da UBS e recursos disponíveis de conectividade; equipamentos de proteção individual; insumos básicos para o atendimento de usuários com quadros de Covid-19; processo de re-organização para o cuidado a usuários com quadro de Covid-19; estratégias de manutenção das ações usualmente realizadas na UBS; uso de teleconsulta, telessaúde e telemonitoramento; características do acesso à rede secundária e terciária nos casos que necessitam de cuidados clínicos mais intensivos; ações de vigilância nos territórios. Os resultados da pesquisa serão consolidados, analisados e sintetizados para orientar a formulação de recomendações de iniciativas mais adequadas aos diferentes contextos nacionais, com base nas experiências e nas dificuldades encontradas.

O projeto foi aprovado pelo CEP FSP USP em 8 de maio de 2020 parecer n 4.015.169.

Fonte – Rede APS/Abrasco

<-Voltar