Piauí – Sesapi orienta uso de repelentes para evitar transmissão da Malária

Quem viajou para áreas de risco deve realizar exame para saber se estão contaminadas

A Secretaria de Estado da Saúde (SESAPI) está recomendando a população dos municípios de Campo Largo e Porto do Piauí, o uso de repelentes para evitar picadas do mosquito Anopheles, responsável por transmitir a malária. Nas duas cidades foram registrados casos.

“Além do uso de repelentes as pessoas que tenham realizado viagens para fora do país, ou Amazônia Legal, onde a malária ainda é bastante presente, devem fazer um exame prévio para saber se foram contaminadas”, explica Amélia Costa, coordenadora de Epidemiologia da Sesapi.

A coordenadora alerta que os municípios de Luzilândia, Matias Olímpio, Barras, Esperantina, e Capitão de Campos também devem ficar em alerta.“Esse municípios são considerado áreas resfriadas, por conta dos rios e riachos. Além disso, muitos dos habitantes dessa área vão trabalhar na região do Amazonas ou Guiana e voltam infectadas”, explica Amélia Costa.

Segundo a coordenadora, os casos recentes registrados em Porto do Piauí foram originados de uma pessoa que chegou ao município contaminada após viagem para fora do país. “A pessoa voltou da Guiana Inglesa infectada, passou dias na cidade e sem nenhuma consulta ao médico. O mosquito picou essa pessoa e automaticamente ficou infectado, passando a doença para outros cidadãos, como uma grávida que nem está podendo tomar medicamento para não comprometer o feto”, comenta Amélia.

As equipes da Secretaria de Saúde já estão no município realizando vetorização e colhendo amostras de pessoas que tenham tido febre por mais de dez dias. No total, 80 laminas foram coletadas somente no município de Porto.

Além disso, há duas semanas as equipes da Sesapi também realizam monitoramento no em Campo Largo do Piauí, que nas últimas semanas registrou dez casos confirmados e mais 50 notificações.

<-Voltar