Piauí – Sesapi prepara capacitação para combate à Coqueluche

O treinamento será realizado de 19 a 24 de agosto no auditório do Laboratório Central do Piauí (Lacen)

 

A Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi) reforça o combate à Coqueluche através de uma capacitação para os profissionais da Vigilância Epidemiológica. Dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) apontam que, ultimamente, mesmo algumas crianças já vacinadas, voltaram a apresentar os sintomas da doença.

O treinamento será realizado de 19 a 24 de agosto no auditório do Laboratório Central do Piauí (Lacen) e contará com a participação de profissionais do Lacen do Estado de Pernambuco. O treinamento será direcionado às unidades hospitalares municipais e estaduais. Participarão profissionais de saúde dos municípios que possuem Núcleo de Vigilância Epidemiológica: Parnaíba, Piripiri, Floriano, Picos, Bom Jesus, São Raimundo Nonato e Uruçuí.

Segundo a coordenadora de Epidemiologia da Sesapi, Amélia Costa, durante seis dias a Sesapi e os profissionais de Pernambuco desenvolverão várias ações contra a doença, como a construção e divulgação de nota técnica, treinamentos, avaliação permanente do comportamento do agravo pela Vigilância Epidemiológica, além do monitoramento da cobertura vacinal e apoio técnico aos municípios.

“O fato de crianças já vacinadas terem contraído novamente a doença se deve à vacina que não tem 100% de garantia de imunidade. Até mesmo a forma de examinar os pacientes também deve contribuir para diminuição desses casos. Essas questões são apenas algumas das várias que discutiremos durante essa capacitação”, disse Amelia Costa.

Características da Coqueluche

De acordo com o Ministério da Saúde, a partir de análise do Sinan, crianças com menos de seis meses de idade representam o grupo etário mais atingido. “Esse grupo é mais suscetível à doença por não ter recebido o esquema básico de vacinação completo”, explicou a coordenadora de Epidemiologia. No calendário vacinal do Programa Nacional de Imunizações (PNI), a vacina tríplice (DTP) é administrada para crianças menores de sete anos de idade.

A primeira dose aos dois, a segunda aos quatro e a terceira aos seis meses de idade, com doses de reforço aos 15 meses e aos quatro anos de idade. A eficácia da vacina para Coqueluche é em torno de 75 a 80%.

A Coqueluche é uma doença infectocontagiosa aguda do trato respiratório transmitida pela bactéria Bordetella pertussis. O contágio ocorre pelo contato direto com a pessoa infectada ou por gotículas eliminadas pelo doente ao tossir, espirrar ou falar.


Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi)
Assessoria de Comunicação
www.saude.pi.gov.br
(86) 3216-3610 / 8802-9604 / 8851-2074

<-Voltar