Práticas de sucesso para redução da mortalidade infantil são premiadas em Brasília

Três iniciativas em saúde foram premiadas durante o “4º Prêmio Objetivos do Milênio (ODM Brasil)” que aconteceu na quarta-feira (30) no Palácio do Planalto, em Brasília. Foram inscritos 1.638 projetos e as 20 melhores práticas ganharam destaque. Na ocasião, que contou com a presença do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, a presidenta Dilma Rousseff disse que “ao entregar o Prêmio a todos os contemplados, estamos reconhecendo o esforço de cada organização e prefeitura no sentido de transformar a vida real concreta das pessoas e apoiar sua conquista de direitos, voz e cidadania”.

A prefeitura do município de Alfenas, em Minas Gerais, foi o primeiro a receber o reconhecimento. A cidade conseguiu reduzir em 80% da mortalidade infantil. Por meio do Programa de Acompanhamento da Gestante (PAGE), em 2011, o número de mortes reduziu de 13 para três, a cada mil crianças nascidas. O PAGE integra iniciativas das secretarias municipais de Educação, Saúde (pré-natal, exames e cuidados constantes da criança em desenvolvimento) e Ação Social. As gestantes são cadastradas e as grávidas de alto risco recebem acompanhamento, além de ligações telefônicas regulares, por meio das áreas integradas. “Receber este prêmio é um reconhecimento e um estímulo para toda a equipe envolvida. E isso só foi possível porque deixamos de pensar na gestante apenas como uma questão de saúde e fizemos com que ela se tornasse uma questão social”, destacou o prefeito de Alfenas, Luiz Antônio da Silva.

Outra iniciativa premiada foi o Projeto GestAção, da Casa de Apoio à Vida (CAVI), em Campinas (SP). A entidade desenvolve ações preventivas, vínculos familiares e previne a reincidência de gestação não-planejada, tanto em adultas quanto em adolescentes. As participantes do projeto frequentam cursos, oficinas e são atendidas individualmente por assistentes sociais e psicólogas.  Em 2011, foram atendidas cerca de 250 gestantes. “Para nós este prêmio é muito importante como reconhecimento do nosso trabalho. A gente acredita que através de ações de geração de renda e do incentivo ao retorno à escola as mães possam voltar a ser protagonistas da vida delas”, ressalta a coordenadora técnica da Casa de Apoio à Vida, Vivian Fernandes.

O Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase (Morhan) também foi premiado pela iniciativa Carretinha da Saúde. Eles propõem atividades voltadas à eliminação da hanseníase, conscientização e foco na construção de políticas públicas eficazes, utilizando unidades móveis. Mais de mil pessoas foram beneficiadas pela ação. No ano passado, foram realizadas várias ações em cidades e comunidades cariocas com Unidades de Polícias Pacificadoras (UPP). “O Brasil é o segundo país do mundo em incidência dos casos de hanseníase. Nosso trabalho é feito em parceria com o poder público para eliminar a doença e o estigma que ela tem”, alerta Artur Custódio, coordenador nacional do Morhan.

Objetivos do Milênio – O Prêmio é uma iniciativa pioneira no mundo e foi criado em 2004 com a finalidade de incentivar ações, programas e projetos que contribuem efetivamente para o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM). No ano 2000, a Organização das Nações Unidas (ONU) definiu oito Objetivos do Milênio a serem cumpridos por todos os países até 2015. Entre as metas na área da saúde estão reduzir a mortalidade na infância, melhorar a saúde materna e combater o HIV/Aids, a malária e outras doenças.

Ilana Paiva/ Blog da Saúde

Foto: Antônio Cruz/ABr

<-Voltar