Profissionais da saúde do Paraná usam ferramenta de segunda opinião técnica online

Desde o começo deste ano, profissionais de saúde em atuação no Paraná têm um novo aliado para tirarem as dúvidas do dia-a-dia: o Segunda Opinião. A ferramenta foi disponibilizada através de parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde e a empresa britânica Britsh Medical Journal (BMJ) para que médicos, enfermeiros, técnicos, assistentes e afins tenham acesso a conteúdo exclusivo da instituição estrangeira, além de contarem com extenso banco de dados das enfermidades.

Plataforma de consulta médica,BMJ. Sueli Almeida,assistente social. Foto:Venilton Küchler

“É de suma importância que o profissional de saúde mantenha-se constantemente atualizado para que possa oferecer o melhor serviço à população. Com esta parceria eles poderão sanar dúvidas sobre diagnósticos e tratamentos, entrando em contato com o que há de mais avançado no mundo em conteúdo médico”, afirmou o secretário de estado da Saúde, Michele Caputo Neto.

O sistema é gratuito e suporta o acesso de até 50 mil profissionais. A proposta da ferramenta é implementar a Medicina Baseada em Evidências e proporcionar que os profissionais possam acessar diretrizes e pesquisas internacionais mais recentes, ter suporte à decisão clínica e atualização profissional.

O Segunda Opinião tem ainda como objetivo melhorar a qualidade da atenção primária no Paraná. Os municípios que recebem recursos do Governo do Estado têm como contrapartida estimular a aderência de seus profissionais à plataforma.

“Desde 2011, a secretaria da Saúde tem destinado incentivos para que os 399 municípios qualifiquem o atendimento nas Unidades Básicas de Saúde. Além do investimento em infraestrutura adequada e equipamentos, a capacitação das equipes é um dos pontos fundamentais desse processo, portanto é natural que o acesso ao sistema de segunda opinião faça parte da contrapartida municipal”, declarou o superintendente de Atenção à Saúde da Sesa, Juliano Gevaerd.

FACILIDADE – Uma das pessoas que já utiliza a ferramenta é a assistente social Sueli de Almeida, que atua na 2ª Regional de Saúde, em Curitiba. Para ela, a facilidade em obter informações ajuda muito no melhor desempenho de suas funções.

“Eu fiquei sabendo que o Segunda Opinião existia após ver a divulgação da Sesa. Fiz o cadastro e comecei a usar. Achei muito interessante. É uma ferramenta que dá muita ajuda ao profissional de saúde. Há uma enorme diversidade de temas que podemos pesquisar e o fato de tudo estar disponível em português é um grande diferencial ”, destacou a assistente social.

CURSOS – Além de informações que ajudam no diagnóstico e tratamento, a plataforma oferece uma série de cursos de aprimoramento aos profissionais. Um dos que enxergou esta oportunidade foi o enfermeiro Diogo Mattos, que atua na rede pública de saúde de Curitiba.

“O sistema é extremamente prático e muito atual. Se, por exemplo, em alguma parte do mundo está havendo um surto de alguma doença, conseguimos fazer um curso nos ensinando como nos preparar caso tenhamos contato com ela. Além disso, todo o conhecimento possui validação internacional, o que para nós profissionais é muito interessante”, evidenciou Mattos.

CONHECIMENTO – Homero Luís Parma, médico da saúde da família na capital, já conhecia a plataforma há alguns anos e, nos últimos meses, tem utilizado o acesso disponibilizado pela parceria Sesa e BMJ. Ele ressalta sua importância para aumentar a eficiência do profissional.

“Além de avaliarmos diversos casos, podemos ter contato com inúmeros estudos. Um exemplo de como a ferramenta nos ajuda ocorreu esta semana, quando me deparei com um caso de miocardite. Com a ajuda do sistema, pude avaliar a situação toda, diagnóstico e tratamentos, com muito mais eficiência”, salientou o médico.

Homero é um dos preceptores da residência médica em medicina da família da Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, onde coordena cerca de 60 residentes.

“Sempre em que eu e os residentes discutíamos algum caso, lembrávamos do Segunda Opinião. Os residentes me viam usando o sistema e queriam ter acesso. Quando soube desta disponibilidade para ser usuário da plataforma, prontamente informei a todos que ficaram muito felizes e quase todos já solicitaram o registro na ferramenta”, reiterou.

FERRAMENTA – A parceria entre Governo do Estado e a empresa britânica oferece aos usuários dois módulos de consulta: Best Practice e Learning.

O Best Practice garante suporte técnico aos profissionais que podem consultar um banco de dados de informações como diagnósticos e tratamentos de diversas doenças. Já o Learning é uma plataforma de ensino à distância onde podem ser feitos cursos de aperfeiçoamento profissional.

Para receber mais informações sobre o sistema ou obter acesso ao sistema, os profissionais devem enviar e-mail ao endereço segundaopiniao@sesa.pr.gov.br.

<-Voltar