Profissionais de saúde devem notificar casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica

Já está disponível no portal da Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) o link para a notificação de casos de Síndrome Inflamatória Multissistêmica Pediátrica (SIM-P) possivelmente relacionada à Covid-19

A notificação foi estabelecida pelo Ministério da Saúde com o objetivo de identificar, investigar e monitorar todos os casos de SIM-P no país em conjunto com as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde.

Devem ser mantidas todas as medidas preventivas como uso de máscaras e higienização das mãos

Ainda não está confirmada a relação da síndrome com a Covid-19, entretanto, a Organização Mundial de Saúde (OMS) em conjunto com diversos países, vem acompanhando e investigando possíveis casos em crianças e adolescentes.

A maioria dos casos relatados no Brasil apresentou exames laboratoriais que indicaram infecção atual ou recente de Covid-19 por biologia molecular ou sorologia ou vínculo epidemiológico com caso confirmado de Covid-19. É importante ressaltar, no entanto, que essas ocorrências foram raras, até o momento, frente ao grande número de casos com boa evolução da doença entre crianças e adolescentes.

Segundo a coordenadora do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs), Daniele Nunes, a Sespa está elaborando os protocolos de preparação para o enfrentamento dessa situação. Já foi realizada uma webconferência com profissionais de saúde dos Hospitais Regionais, Centros Regionais de Saúde e Secretarias Municipais de Saúde, para alertar a todos sobre a identificação de casos e manejo em tempo oportuno, e o estabelecimento de um grupo de trabalho com representantes da Diretoria de Vigilância em Saúde, Diretoria de Políticas de Atenção Integral à Saúde (DPAIS) e Regulação para definição de um Plano de Enfrentamento à SIM-P.

“Também solicitamos à Universidade do Estado do Pará, que está fazendo uma pesquisa de Covid-19, a realização de testes rápidos em crianças, para verificar a incidência desses casos em nosso estado, e está em fase de elaboração uma Nota Técnica Estadual sobre os fluxos de vigilância e notificação de casos e SIM-P”, informou a epidemiologista.

Conforme Daniele Nunes, o Pará tem três casos notificados no sistema oficial (RedCap), sendo 01 caso suspeito em Alenquer, 01 em Belém e 01 em Xinguara. “Todos os casos necessitaram de internação hospitalar, inclusive de suporte de UTI. Os que receberam alta estão sob monitoramento dos municípios”, afirmou.

A recomendação aos pais e responsáveis é que em casos de febre alta por até três dias, levem a criança ou jovem ao serviço de saúde e mantenham as medidas preventivas contra a Covid-19 usando máscaras, higienizando as mãos e evitando aglomerações.

Sinais e sintomas – A definição de caso preliminar de SIM-P foi adaptada pelo Ministério da Saúde, com base na definição de caso da Organização Pan-Americana de Saúde (Opas)/OMS e validada pela Sociedade Brasileira de Pediatria, Sociedade Brasileira de Cardiologia e Instituto Evandro Chagas (IEC).

Os principais sinais e sintomas da SIM-P são febre alta (mínimo de 38ºC) e persistente por mais de três dias, conjuntivite não purulenta, erupção cutânea bilateral ou sinais de inflamação mucocutânea (oral, mãos ou pés), hipotensão arterial ou choque, manifestações de disfunção miocárdica, pericardite, valvulite ou anormalidades coronárias, diarreia, vômito ou dor abdominal.

Os casos suspeitos devem ter evidência de Covid-19 (biologia molecular, teste antigênico ou sorológico positivo) ou história de contato com pacientes com Covid-19.

Também podem ser considerados casos suspeitos crianças e adolescentes que preencherem critérios totais ou parciais para a síndrome de Kawasaki ou choque tóxico, com evidência de infecção pelo novo coronavírus.

Serviço: a notificação de casos de SIM-P podem ser feitas pelo link a seguir:  FICHA DE NOTIFICAÇÃO DE SIM-P

Texto: Roberta Vilanova

Foto: Banco de Imagem Pexels

<-Voltar