Oficinas de Planificação das Redes de Atenção Primária à Saúde na Secretaria de Estado da Saúde do Distrito Federal

A capacitação das equipes de saúde dos estados brasileiros no que concerne à reorganização do sistema de saúde, à integração das ações e dos serviços de saúde, assim como o fortalecimento da Atenção Primária à Saúde (APS) estão entre os principais objetivos das Oficinas de Planificação da Atenção Primária à Saúde, que já foram realizadas, pelo CONASS em parceria com as SES, em 16 estados brasileiros

Além de proporcionar aos profissionais instrumentos, ferramentas e tecnologias de planejamento da atenção à saúde, as oficinas apresentam maneiras de organizar o processo de trabalho das equipes de APS em seus respectivos municípios – no caso do DF, em suas Regiões Administrativas. Por esse motivo, durante o encontro, essas equipes são capacitadas também para adequarem e reproduzirem todos os conhecimentos agregados com a realização das oficinas.

Profissionais das Regionais de Saúde do DF participam do encontro

Para Rosalina Aratani Sudo, subsecretária de Atenção Primária à Saúde da SES/DF, a oficina acontece a partir da necessidade da reestruturação da APS no DF, que atualmente conta com uma “baixa cobertura, de 17% de equipes completas na Estratégia Saúde da Família (ESF)”. No entanto, segundo Rosalina, a necessidade de estruturar as Redes de Atenção à Saúde não se dá apenas por conta da APS. “Sozinha, ela não é capaz de resolver todos problemas que o serviço de saúde enfrenta. Todos os pontos de atenção necessitam se organizar para que a gente possa, de fato, avançar”, destacou.

Rosalina Sudo falou ainda a respeito da disseminação do aprendizado das oficinas, destacando que o debate precisa ser replicado entre os trabalhadores que atuam nas regionais de saúde, que lidam diretamente com os usuários. “É preciso ter clareza de tudo que deve ser feito para que possamos melhorar a qualidade no serviço público de saúde. Temos uma meta de aumentar para 50%, em 2012, a cobertura da ESF no Distrito Federal.

Da esquerda para a direita: Jurandi Frutuoso (CONASS) e Rosalina Aratani Sudo (SES/DF)

O secretário executivo do CONASS, Jurandi Frutuoso, ressaltou o caráter colaborativo da realização destas oficinas no intuito de ajudar os estados a enfrentarem as adversidades do Sistema Único de Saúde (SUS) com instrumentos que podem propiciar melhor arranjo do sistema. “Sabemos que o SUS vem se organizando passo a passo, melhorando e intensificando suas investidas em novas tecnologias e procurando absorver tudo de mais complexo que a saúde exige. Por isso, se fazem necessárias novas estratégias para dar conta da demanda que é colocada dia a dia”, disse.

Frutuoso falou ainda do subfinanciamento do SUS, o que, segundo ele, reforça a necessidade de organização do sistema. “Temos de ter criatividade e capacidade de traçar estratégias visando a resolução dos problemas e a melhoria da qualidade dos serviços. As redes representam essa estratégia e, não por acaso, elas são fundamentadas na APS, que por se configura como nosso maior desafio: Como tornar a APS resolutiva para que seja a pilastra do SUS. É isso que o CONASS vem buscando fazer em todos os estados – fortalecer a Atenção Primária à Saúde e fortalecer o Sistema Único de Saúde”, finalizou.

O encontro ocorre nos dias 14, 15 e 16 de fevereiro, na sede da Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs) em Brasília/DF.


Matéria e Fotos: Adriane Cruz – Ascom/CONASS

Assessoria de Comunicação Social
Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS)
ascom@conass.org.br / (61) 9609 8365

<-Voltar