Reestruturação física otimiza fluxo de atendimento no Regional de Propriá

Habilitado para prestar assistência de baixa e média complexidade, o ano de 2019 foi de reestruturação para o Hospital Regional de Propriá, a unidade da Secretaria de Estado da Saúde (SES) conta, agora, com um acesso privativo para a maternidade e dentro de alguns dias entrará em funcionamento oferecendo maior celeridade no atendimento e mais privacidade às pacientes. Ela também conta com uma nova sala de pré-parto, instalada ao lado do centro cirúrgico.

Como parte da reestruturação física estão também os serviços de manutenção, pequenas mudanças em sua estrutura e climatização, que foram o diferencial na unidade no atendimento aos 92.104 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) em seu Pronto Socorro, em 2019, nas especialidades de clínica médica, pediatria, cirurgia geral e ortopedia.

A unidade possui 75 leitos para suprir as necessidades de pacientes do hospital e da maternidade, maior beneficiária das melhorias empreendidas em 2019. Foram 92.104 atendimentos no Pronto Socorro, 237.910 procedimentos clínicos (medicação, exames, etc.), 973 cirurgias eletivas, 482 cirurgias e pequenos procedimentos ortopédicos e 1005 partos normais e cesarianos. As eletivas foram, em sua maioria, de hérnia umbilical e inguinal (região da virilha), histerectomia, vasectomia e vesícula.

Todas as enfermarias e a Unidade de Cuidados Intermediários Neonatal (Ucin), bem como a admissão e as duas salas de internamento cirúrgico, ganharam novos aparelhos de ar condicionado, melhorando a climatização e gerando mais conforto e segurança às parturientes e seus bebês.

A superintendente do hospital, Patrícia Freitas Nunes de Britto, salientou  a modernização do parque tecnológico, bem como os investimentos em medicamentos e insumos do regional. “Foram monitores,  cardiovessores, aparelho de ultrassonografia,  substituição e instalação de novos computadores vistos que todos eram da época da inauguração,  bem como de diversos  aparelhos de ar condicionado nos setores da Unidade e reposição de enxovais”, relacionou a superintendente, enfatizando também como grande feito de 2019 o fim do déficit de medicamentos.

Segundo Patrícia Britto, graças a tantos investimentos foi possível potencializar e otimizar a assistência em 2019. Ainda de acordo com ela, a grande força motora do Hospital Regional de Propriá são os seus funcionários. “Para que funcionemos bem, contamos com equipes de diversos profissionais da saúde que trabalham com dedicação e profissionalismo. São 63 médicos, 58 enfermeiros, 163 auxiliares e técnicos de enfermagem e 15 colaboradores na função de técnicos de raio x, de farmácia, de imobilização e instrumentadores cirúrgicos”, disse.

Segundo ela, a estes profissionais soma-se uma equipe multidisciplinar composta por cinco fisioterapeutas, quatro assistentes sociais, uma farmacêutica e três nutricionistas. Uma curiosidade ressaltada pela superintendente é que o Hospital Regional de Propriá se configura como um dos maiores geradores de empregos da região.

Fonte: SES/SE

<-Voltar